10/11/12

Não gosto do César Millan, saiba porquê.

Ontem a passear a minha Pixie um dono passou do outro lado da rua com um mini Yorkshire Terrier com menos de um palmo de altura que desatou a ladrar quando viu a minha cadela.. A reacção do dono foi dar um esticão na trela e desatar às chapadas ao focinho do cão e fazer "shhuuuut" levando o dedo indicador em sinal de silêncio. Se o cão voltasse a ladrar levava nova chapada...  afastei-me com a Pixie para o cão não ter mais motivos para ladrar.. e fiquei a ferver furiosa por ter acabado de assistir mais uma vez aquela situação. Os cães não se treinam à chapada!

Sei que muita gente apoia e inclusive gosta de métodos aversivos para treinar cães. 
Eu simplesmente não sou capaz de o fazer. Felizmente houve uma altura na minha vida em que aprendi que conseguia resultados bem melhores se reforçasse positivamente os bons comportamentos. O livro "Don't Shoot de Dog!" da Karen Pryor mudou a minha vida e ensinou-me como se mudam comportamentos (nos cães, nos gatos, golfinhos, cavalos, ursos, leões e pessoas: chefes, namorados, filhos, etc) através do reforço positivo. É Maravilhoso! :)

Com todos os cães que me passam nas mãos eu uso o "Lindo!" "Boa!" "Muito bem!" sempre que se portam bem e nunca dou chapadas, safanões ou pontapés (desculpem..."toques"!?) para cessar um comportamento indesejado de um cão. Para isso uso comportamentos incompatíveis ou alternativos. O cão ladra quando vê outros cães, mudo de direcção, chamo-o a atenção para mim "bobi! olha pra mim, vamos por aqui! bora bora bora :) boa! muito bem!" e distraio-o. Peço um senta e recompenso com festas, palavras doces ou biscoitos sempre que se focam em mim ou se conseguem permanecer em silêncio. É isto que faço nos dog walkings. E sabem que mais? Resulta muito bem e sempre de forma divertida e animada. 

Se quer resolver um problema de comportamento do seu cão consulte um Veterinário Especialista em Comportamento Animal, treine o seu cão através de métodos positivos e não aversivos (estranguladoras, coleiras de choques, picos e outras coisas que causam dor). Cada Cão é um caso e não deve MESMO fazer aquilo que se vê na TV nos programas do César Millan. E por uma simples razão: não são eficazes para alterar o comportamento indesejado. 

Não sou eu que digo isto, mas sim médicos veterinários especialistas em comportamento animal, treinadores que usam o reforço positivo no seu método de treino ou Associações como a RSPCA (The Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals) que estudam e comprovam porque se devem usar métodos que não causam dor e que sejam eficazes no sentido de treinar, educar ou alterar comportamentos em animais.



Voltando ao César Millan, do qual li o livro e fiquei sem perceber o que raio é o "estado calmo e assertivo" nem como se passa a minha energia para um cão via trela (e olhem que entendo de trelas...) ..prefiro basear-me em coisas comprovadas cientificamente que eu posso experimentar em casa sem qualquer problema.

Ficam alguns vídeos que a meu ver são elucidativos.

O César Millan a dar pontapés aos cães em zonas que causam dor. Muito violento.

Entrevista de Alan Titchmarsh a Cesar Millan onde ele é confrontado com as técnicas que segundo a RSPCA são inaceitáveis por causarem dor e medo nos cães.
Episódio da Holly explicado através da observação da linguagem canina dos cães. Mostra bem o desconhecimento do Cesar Millan sobre comportamento canino e a forma agressiva como aborda estas questões. Se quiser aprender mais sobre estes sinais de calma recomendo que leia o Livro Sinais de Calma de Turid Rugaas (disponível em Português).

Desamparo aprendido (learned helplessness) no Treino do César Millan e suas consequências

Agora fica um exemplo: como resolver um problema de um cão agressivo com um método positivo :)

Quero apenas com este post passar o meu ponto de vista e porque acho que vale a pena reflectir nestas questões. Esta é a minha forma de trabalhar com cães. De forma feliz e positiva: sempre.


113 comentários:

  1. Acho que você está errada, principalmente em um video onde você colocaou que Mostra bem o desconhecimento do Cesar Millan,ele crescreu com caes,caes de verdade não esses que vemos hoje em dia cheios de problems de comportamento,as tecniccas dele se baseiam no que ele aprendeu com esses caes,e mantem a ,os observando,ou seja se baseia em uma coisa natural para o cão e com uma energia correta,vc acha muito brusca a forma como ele trata os caes, mas vc já viu caes selvagensna natureza? como eles enteragem um com o outro? não é com festas e palavas de OIIIIII MEU BB TUDO BEM? Cesar só tenta aplicar técnicas naturais para os caes porque mesmo eles sendo domesticado, o instinto canino,e a psiclogogia canina sempre será a mesma, muitos donos nõ gostam dele porque ele usa psicologia CANINA e não humana,como a que vocÊ usa com seu cão,as pessoas devem entender que o cão não é seu filho,e a partir do momento que tratarem um cão como um cão,ai teram um cão feliz de verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... perfeita sua colocação.
      As pessoas tendem a pegar meia dúzia de vídeos tendenciosos na internet, ler 1 livro ou 2 e sair julgando o Cesar... e mais, não entendem a GRANDE diferença entre ADESTRAMENTO e PSICOLOGIA CANINA! Nesse vídeo de colocar coleirinha no mini cãozinho com petisquinhos é molezinha né, até eu faço isso em casa... agora quero ver tratar de REABILITAÇÃO dos cães que o Cesar Millan cuida... cães agressivos, ENORMES as vezes, totalmente desequilibrados... quero ver colocar coleirinha usando petiscos num Rottweiler de 80kg totalmente agressivo até com as sombras...

      É fácil criticar o Cesar Millan, difícil é estudar a fundo oq ele sabe, ensina e faz com muita competência e AMOR pelos cães... Não vejo violência no modo como ele trata os cães, vejo apenas um humano que tem capacidade de lidar com cães que, seja lá por qual motivos, estão desequilibrados entre instinto e vida com humanos. Cutucões em áreas onde, numa matilha, outros cães 'cutucariam' tbm, não vejo como violência, mas coerência com a espécia com que está lidando: cães!

      Como vc disse, sim, ele lida com CÃES, e os trata como tal... e isso não é tratar como menos que humano, é apenas respeitá-lo como o ser que é: CÃO! Respeitar seus instintos, seu modo de ser, sua espécie, raça e animal domesticado, adaptado a ser membro de família humana... E como o Trela e Companhia da "matéria" colocou numa foto aqui, a primeira "is not the humane way"... concordo, não é mesmo um método humano, porque o Cesar Millan lida com CÃES! E os respeita e trata como tais! Repito, e até hj não conheci nenhum adestrador ou psicólogo canino que reabilitou ou adestrou um, por ex, Rottweiler desequilibrado que ataca tudo para matar, com biscoitinho e carinho na cabecinha logo de início...

      Sou ativista, resgatadora e protetora, confesso que ANTES DE CONHECER, tbm não gostava do Cesar e decidi estudá-lo... e hj sou fã... não vejo violência, apenas um modo de lidar com cães como se ele fosse um cão! Simples assim... oq é notável, pois os cães os amam e respeitam, é nítido! Violência é que o vemos dia a dia em matérias, notícias e tudo mais dia a dia com animais!

      Enfim, tbm minha opinião sobre o assunto! Respeito quem é contra o Cesar, pq um dia, eu, sem conhecimento de causa, tbm não gostava... mas quem para e estudá seus métodos a fundo, SEM SE deixar influenciar por vídeos montados e tendenciosos na internet, tem grandes chances de vê-lo com outros olhos como eu vejo hj.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Caro anónimo, respeito a sua opinião mas não estamos de acordo. Conheço o método do César Millan, e quanto mais estudo sobre comportamento animal mais entendo que não é a opção correcta para lidar com cães. Deixo mais um artigo que tenho como referência: http://caosciencia.blogspot.pt/2008/06/controvrsia-do-dog-whisperer-cesar_27.html
    Neste Blogue caosciencia.blogspot.pt pode encontrar mais referências que vão de encontro ao que partilhei neste post. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que você deveria estar agradecida pelo facto de alguém como César existir e nos poder ensinar algo sobre como lidar com os nossos companheiros de 4 patas. Já agora se quer aprender algo sobre o comportamento canino e relativamente ao treino de reforço positivo tem alguns bons livros de um autor fantástico, Roger Abrantes, etólogo com publicações bastante interessantes. Numa das obras deste autor ficaria a saber que treino recorrendo ao treino de reforço positivo apenas, não existe, leia "Os 20 princípios que todos os treinadores de animais devem conhecer". Aprenda e depois comente. Obrigado

      Eliminar
    2. Boa tarde Trela e companhia. Onde você está cursando etologia canina?

      Eliminar
  3. Bem... Tratar os cães como "xuxus" deve ser o método ideal... para deseducá-los.
    Depois admiram-se daqueles casos em que o bichinho que era tão querido se "transforma" e morde pessoas...
    Nunca deve ter lidado com um animal problemático. Sorte a sua!
    Não lhe confiaria um cão meu.
    Ah, já agora: quando estamos 100% seguros da nossa opinião, não temos necessidade de pegar em mil argumentos para Tentar derrubar a do outro.
    O método do Cesar é eficaz. Não maltrata. Impõe Respeito.
    Deve ter visto um programa diferente daquele que passou na minha TV, de certeza...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Minkah,
      Obrigada pela seu comentário. Os cães educam-se com regras e consistência, mesmo que lhes tratemos por "xuxus" ou outras palavras meigas. Já tive nas minhas mãos cães com problemas e os respectivos donos confiam no meu trabalho. Pode ver testemunhos de alguns donos sobre o meu trabalho aqui: http://trelaecompanhia.blogspot.pt/p/o-que-dizem-da-trela-e-companhia.html
      Estou 100% segura da minha opinião e não procuro derrubar o trabalho de ninguém apenas procuro com este post (no meu blog) dar o meu ponto de vista sobre o método utilizado pelo César Millan, com o qual não concordo, tal como não concordo com muitos outros treinadores que usam a mesma forma para trabalhar com cães. Há muitas pessoas que não gostam da sua técnica e que não conhecem alternativa que felizmente já existe.
      Não estou de acordo consigo quando diz que o método dele não maltrata cães e mostro exemplos nos vídeos que publico neste post que passaram na televisão.
      Repare que tenho o cuidado em dar referências e que suporto a minha opinião com base cientifica, à luz de estudos de veterinários e especialistas de comportamento animal (como a Dra. Karen Pryor que dou como exemplo, ou a posicão da RSPCA (The Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals), ou da Humane Association nos EUA). Muitos destes especialistas provam com base no seu trabalho que os métodos utilizados pelo César Millan são obsoletos. Se se interessa pelo tema sugiro que procure mais informação e que ponha em causa tudo o que passa na sua TV. Se acha que está 100% segura da sua opinião aceite que podemos ter opiniões diferentes e formas diferentes de lidar com os animais.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Bom, não sei onde referi que engulo tudo o que a tv me mostra, até porque vejo pouca, mas acompanhei o programa e não vi nenhum episódio em que o senhor maltratasse os animais, bem pelo contrário.
      Já vi que a nossa noção de maltrato difere, portanto, sim, aceito "que podemos ter opiniões diferentes e formas diferentes de lidar com os animais".

      Eliminar
  4. Li livros do Cesar Milan, inclusivamente antes da série dar em Portugal vi muitos episódios do programa dele e sempre estranhei a capacidade (quase) mística de alteração de comportamento nos cães em minutos. Não acreditando que os cães podem ser tratados como um pacote de noodles de microondas, decidi procurar mais e informar-me melhor. O reforço positivo funciona, e não se esgota (de maneira nenhuma) em ensinar comportamentos fúteis aos cães. Se implica uma mudança de paradigma, claro que sim. Alterar as rotinas e aumentar o volume da nossa atenção para com os comportamentos deles, claro que sim. Sair da zona de conforto em relação ao que sabemos por vezes é custoso, no sentido em que abrange mudanças de comportamentos que temos como certos e garantidos (e "validados" porque dão na tv). Hoje, aos 31 anos peço desculpa ao meu primeiro cão, por não ter sabido tratá-lo e recuperá-lo como ele merecia, por falta de informação e por estar presa a teorias obsoletas que não tiveram, da minha parte, a interrogação que deveriam ter tido. Agradeço ao meu segundo cão por todos os comportamentos maravilhosos que todos os dias me ofereceu, e que eu (já) soube recompensar, simplesmente porque os soube ver. O meu terceiro cão, em "segunda mão" terá passado por muito e terá sido privado de coisas a mais. Quem o conhece hoje sabe que não parece o mesmo. Considero-me uma pessoa informada, interessada e sobretudo preocupo-me em por os interesses dele e o seu bem estar acima de teorias ou correntes "concorrentes", e ambos ganhamos com isso. Trato-o como um cão merece ser tratado, e isso por si é suficiente para (ele) saber que das minhas mãos não saem chapadas, saem festas e recompensas pelos comportamentos que quero que se repitam, e que dos meus pés não resultam "toques", mas passeios divertidos e correrias. O reforço positivo não é o mesmo que indisciplina e não são cães com o "tico e o teco" adormecidos. O reforço positivo estimula a criatividade do cão e o vínculo com o seu dono. Isto vai muito para além de defender esta ou outra posição. É simplesmente saber o que funciona melhor (porque se experimentou) e verificar que gentileza gera gentileza.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro,
      Obrigada por partilhar aqui o seu testemunho sobre o tema. Entendo e identifico-me com o que escreve e é de facto um privilégio podermos dar aos nossos cães hoje aquilo que não demos aos outros ou mais cedo ao cão que vive connosco. "living and learning". Vamos sempre a tempo de mudar se estivermos disponíveis para procurar mais informação sobre o tema. O seu primeiro cão gostava de si incondicionalmente e acredite que tudo que que já fez actualmente neste sentido com o seu actual cão é uma justa homenagem que lhe presta. Ver um cão feliz a responder, a sorrir, a abanar a cauda, a confiar inteiramente no seu dono sem medo é uma das maiores alegrias que temos! Amor só gera amor e os cães estão cá a ensinar-nos isso todos os dias ;)

      Eliminar
    2. ... é, quero ver reabilitar cães desequilibrados, que pesam mais de 30kg, com mordidas que pesam toneladas, com biscoitinho e mãozinha na cabeça "muito bem Rex"... adoro reforço positivo e uso 90% dos casos, mas oq as pessoas não veem é que o Cesar Millan REABILITA cães que já chegaram ao seu extremo de desequilibrio, como por ex, o Cujo, um cão de quase 60kg que atacava até até sombras, e que o Cesar SALVOU A VIDA, pois ia ser sacrificado! Queria ver reabilitar um cão daquele porte e agressividade com biscoitinho e "muito bem Cujo!"... isso é adestrar... legal... mas antes é preciso reabilitar!

      As pessoas atacam o Cesar sem conhecer DE VERDADE seu trabalho... é, ele é tão violento e tão grosseiro, que os cães o amam! Nunca houve ataque dentro do Centro de Psicologia Canina dele, para refletir né... e outra caro Pedro Cabral, o Cesar não tem "[...]a capacidade (quase) mística de alteração de comportamento nos cães em minutos[...]"... caso não saiba, os programas têm um certo negocinho que se chama "edição"... partes são editadas para caber no horário de programação... faça o seguinte, busque, como eu fiz, encontrar programas dele na íntegra, com bastidores, e verá que não tem nada "místico", em certas (e muitas ocasiões), ele chega a ficar mais de 20 minutos ajoelhado acalmando o cão, e sim, sem a edição, ele dá reforço positivo tbm...

      Enfim, as pessoas criticam o Cesar Millan sem conhecer o trabalho por completo dele... se baseiam apenas em episódios editados, vídeos montados e vídeos tendenciosos no YouTube, meia dúzia de blogs de pessoas que NEM SÃO PSICÓLOGOS CANINOS, e que saem criticando por leram isso ou aquilo, aqui e ali...

      Respeito sua opinião Pedro, mas busque conhecer a fundo, de verdade, algo ou alguém antes de criticar!

      Eliminar
    3. Sou treinador e comportamentalista ha 27 anos. Sou formado no Canada e trabalhei la tambem. Eu trabalho com cães gigantes e fortes usando petiscos e isso tem dado resultados incriveis sim. Cães agressivos e perigodos mudaram com o método positivo. Se voces quizerem conhecer meu trabalho podem ver no face ADESTRAMENTO CABO FRIO OS MEUS VIDEOS.

      Eliminar
  5. No contexto da discussão dos métodos do cesar millan venho perguntar qual destas duas formas de evitar o meu cachorrinho de me morder (e morder seja quem for) é a melhor. Ele chega a uma altura que fica completamente desorientado, eu percebo que seja para brincar mas é mesmo assustador. Embora pareça ser ridiculo "o meu cachorro de 3 meses é assustador" é mesmo o que eu sinto e não sei o que devo fazer para o corrigir, já comecei a fazer os tais "guinchinhos" mas ele parece que leva isso da forma errada, parece que ele percebe "ok então estás a gostar. vou ladrar e morder mais yeeeey". Deixo então os videos:

    Estilo Cesar Millan: http://www.youtube.com/watch?v=sXMyAvIlUSk

    Estilo "emitar cachorrinhos": http://www.youtube.com/watch?v=YpkCeqJaouA

    Deixo já agora uma foto da fera para se deliciarem: https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/960271_504530749613748_1534560072_n.jpg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro,

      O comportamento de morder num cachorro é perfeitamente natural e próprio da idade.
      A conselho-o vivamente a ler os livros - "Antes e depois de ter o seu cachorro" - do Dr. Ian Dunbar, Médico Veterinário especialista em Comportamento com um largo trabalho desenvolvido com cachorros. Veja por favor este post que escrevi
      http://trelaecompanhia.blogspot.pt/2012/11/livro-de-instrucoes-para-caes.html
      onde pode ver os links onde encomendar em Português ou descarregar a versão gratuita em inglês no site dogstardaily.com
      Tenho recomendado a vários donos que me pedem dog walkings aos seus cachorros e são livros com dicas preciosas. Entre outros temas importantes, explica porquê que os cachorros mordem e que fazer nessa situação. ;)

      Deixo-lhe também uma nota sobre o assunto escrito pela Claudia Estanislau, da Escola It's All About Dogs, página que recomendo vivamente caso se interesse por treino de cães:
      https://www.facebook.com/notes/its-all-about-dogs-escola-positiva-de-treino-e-comportamento-canino/o-meu-cachorro-mordisca/209338605752402

      Ps. a sua fera é assustadoramente fofa! mal abri a foto fiz um Awww e senti o meu coração a derreter em segundos! :)

      Eliminar
    2. Muito obrigado pela literatura! Já vou ter muito com que me ocupar!

      Eliminar
    3. Pedro sempre que vir que posso ajudar não hesite.
      Obrigada

      Eliminar
    4. Trela e Companhia, Sinto em suas criticas um pouco ou muita inveja do sucesso que o Cesar faz com animais, faça por merecer, estude mais , se dedique mais quem sabe um dia se torne uma profissional renomada como ele.

      Eliminar
  6. Sou do Brasil, litoral paulista, e nunca havia visto estes vídeos...devo dizer que estou pasma. Irei compartilhar esta página para que outras pessoas vejam este absurdo. Estou começando a trabalhar com minha irmã como Dog walker e concordo absolutamente com este blog: não se trata o próximo como não gosta que tratem você. Animais merecem respeito tanto quanto nós, eu detestaria que alguém me colocasse uma coleira de choque ou que chutasse minha barriga constantemente. O problema é que os humanos agem com se fossem donos te tudo e todos. Soa como clichê, mas nunca é demais repetir, todos merecem respeito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo seu comentário Bazar da Docinho.
      A falta de informação ou a veiculação de informação errada ou desactualizada leva muitas pessoas a prejudicar o bem-estar dos seus animais e muitas vezes sem conhecerem alternativas.

      Fico feliz de chegar ao Brasil. Tenho colegas Brasileiros que treinam em positivo. Recomendo que veja a página da Deita e Rola
      ou a Tribo dos Cães:
      https://www.facebook.com/pages/Tribo-dos-C%C3%A3es-Escola-de-Educa%C3%A7%C3%A3o-Canina/159286510796592?fref=ts

      Qualquer coisa que possa ajudar não hesite contar com a minha ajuda ;)

      Eliminar
  7. Boa tarde tenho uma labradora que adoro,ela é um espectáculo,mas não conhece os seus limites,moro na zona de Parede(Cascais),conhece algum treinador de comportamento por esta zona,que me possa ajudar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Xana.
      Conheço sim. Pode enviar-me o seu contacto por email para trelaecompanhia@gmail.com para lhe passar os contactos?
      Obrigada

      Eliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  9. Bem vamos lá ver as coisas como elas são, eu acho graça a uma coisa então o Cesar Millan não é um especialista em cães???? A muita gente a defender-se com teses dos ditos especialistas que nem metade da experiência do Cesar têm, ( nem fama, nem serem conhecidos e isso se calhar é que dói a muita gente, um mexicano sem estudos a dar provas de psicologia canina sem andar anos a estudar ). Eu costume ver a serie dele e acho que o Cesar tem uma maneira de lidar muito natural, ele lida com os cães como se passa mesmo numa matilha real e natural, eu de momento tenho 3 cães e 2 deles teimosos ( uma boxer e uma bulldog americano ) e sigo as diretrizes do Cesar e resulta, o funcionamento de ser líder da matilha funciona mesmo a questão de gastarmos a energia dos cães também funciona e tudo como ele diz e até agora tenho conseguido me dar bem especialmente com a bulldog americano que é uma raça por si já muito dominante e teimosa e com muita força e eu com os concelhos do Cesar tenho me dado bem. Eu acho que há muita inveja pelo trabalho dele porque há muitos especialista ou chamados disso quem nem 1/4 do sucesso dele têm e a inveja é complicado e por isso e dizer mal do trabalho dele mas se forem a ver bem e ele o mesmo diz o método dele não é o único e nem ele considera-se o melhor ele diz que o método dele e mais um no meio de muitos mas que para ele é o que funciona melhor mas não quer dizer que os outro não funcionem nem o vejo dizer mal do trabalhos dos outros especialistas e como os antigos dizem quando sentimos inveja do trabalho dos outros uma das armas e dizer mal do mesmo já que não temos capacidade para fazer frente trabalhando...esta é a minha opinião e somente isso.

    Hugo Martins.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hugo lamento mas não consigo concordar consigo. Também vi muitos episódios do César Millan e inclusivé li o livro e não consigo concordar com o seu método porque não me identifico com o mesmo. Não gosto da abordagem da liderança/dominância para os meus melhores amigos e na verdade nem sinto falta. Os cães encantam-me a mim e não eu a eles :)

      Como refiro no post: Não sou eu que digo isto, mas sim médicos veterinários especialistas em comportamento animal, treinadores que usam o reforço positivo no seu método de treino ou Associações como a RSPCA (The Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals) que estudam e comprovam porque se devem usar métodos que não causam dor e que sejam eficazes no sentido de treinar, educar ou alterar comportamentos em animais. Convido-o a conhecer o trabalho destes especialistas e perceber porque é que a comunidade ciêntifica já se distânciou destes métodos que ainda se utilizam (infelizmente, do meu ponto de vista) em todo o mundo. As técnicas de César Millan não foram inventadas por ele já se utilizavam no treino canino à muitos anos. Claro que há todo um conceito à volta dele muito bem trabalhado do ponto de vista de Marketing e Comunicação que o projecta mundialmente e lhe confere a fama. Sou licenciada em Comunicação e entendo perfeitamente a Fama e o Crédito que as pessoas dão aos seus programas. Ficaria feliz se ele utilizasse técinas que não fossem aversivas e que dessem para ser feitas em casa por toda a famíla como são as técnicas que usam o reforo positivo e as quais defendo por considerar mais seguras e harmoniosas.

      Gostava que dedicasse algum tempo a conhecer outras abordagens de treino canino. Convido-o a estar presente no seminário da Dra Karen Pryor em Setembro.
      Ver links:
      https://www.facebook.com/events/580305712001572/?fref=ts
      http://www.knsediciones.com/pt/ofertas-promociones/1286-invitacion-a-charla-con-karen-pyor-en-lisboa.html

      A inscrição no seminário é a aquisição de uma colecção de livros de autores como a Karen Pryor, Jean Donaldson e Turid Rugaas em Português que o poderão ajudar a compreender o meu ponto de vista e porque o defendo. Os livros explicam bem porque é que os cães não nos reconhecem como líderes de matilha e de que forma comunicam connosco.

      Também em Português pode ler estes dois livros do Dr. Ian Dunbar (ou descarregar gratuitamente em inglês no dogstardaily.com)
      http://trelaecompanhia.blogspot.pt/2012/11/livro-de-instrucoes-para-caes.html

      Se se interessa por comportamento canino acredito que poderá gostar deconhecer mais sobre o tema e conhecer outros nomes para além do César Millan. Quem sabe um dia não irá concordar comigo? Ou talvez não e todos temos direito a nossa opinião felizmente :)

      Eliminar
    2. Em primeiro lugar obrigada pelo convite se poder irei tentar estar presente, se não se importar diga-me um livro que eu possa ler que tenha a sua ideia bem formulada para eu poder analisar bem. Depois falamos melhor.

      Se não se importar é claro.

      Hugo Martins

      Eliminar
    3. Hugo,
      Claro que não me importo, aliás fico feliz pelo seu interesse. Os vários livros que recomendo nos links que lhe passei em cima complementam-se nas diferentes vertentes do treino e comportamento canino com base no reforço positivo. Para escolher um talvez sugira o "Choque de Culturas" da Jean Donaldson que é bastante abrangente. Mas qualquer um destes autores tem um longo trabalho com cães comprovado cientificamente que vale a pena conhecer.
      Míriam

      Eliminar
    4. Bem vou então ler, depois direi aqui o que acho e muito obrigada pelas respostas tão prontamente, pelo que vejo têm uma vida bastante preenchida, o que é bom é sinal que se está a sair bem. E muito bom quando podemos ter o luxo de trabalharmos na área que adoramos e realmente fantástico e um privilégio.

      Comprimentos, Hugo Martins.

      Eliminar
  10. Da mesma maneira que muitos pais criticam outros pais pela educação que dão, o mesmo acontece nessa área.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente verdade.
      Tento com este post mostrar o meu ponto de vista, aceito que nem toda a gente concorde com ele mas acho importante dar a conhecer mais nomes, mais abordagens, principalmente aquelas que se baseiam na ciência e foram estudas e comprovadas.

      Eliminar
  11. Boa tarde.
    Gostava de começar por dizer que respeito a sua opinião quanto ao assunto, mas não concordo de todo com ela.
    Em primeiro, antes de abordar os métodos de Cesar, gostava de referir que acredito que a maior parte das pessoas que têm cães, não têm vida para tal, não assumem essa responsabilidade e não se dedicam com a consciência certa do seu dever. Só por aí, se as pessoas parassem para pensar, metade dos "problemas" dos cães desaparecia ou mais de metade da população não tinha cão. Adoro-os, tive em contacto com eles na infância, mas tenho plena consciência que além das possibilidades pesarem na decisão, 80% recai sobre a minha disponibilidade no momento, por isso sou consciente quanto a isso.
    A seguir: diz que não sabe o que "raio é o estado calmo e assertivo". Gosto de acreditar que sabe sim, caso contrário imagino-a a escrever este post cheia de ira e má energia. Aí já posso falar mais, pois de energia entendo um pouco e se nós somos energia, emanamos energia, recebemo-la, porque não aqueles que estão mais em contacto com a natureza e com a sua natureza, como os cães, não deverão sentir uma energia de medo, stress ou mesmo ansiedade e raiva?! É tão simples e básico que dói como complicam animais tão fáceis de ler. A nossa postura diante deles, a energia com que os abordamos e às situações, determina grande parte dos resultados, uma vez que é a nossa conversa com eles, sem necessitar de palavras. (admito que tenho gato e que muitas vezes um olhar, ou um gesto chega para ordenar que saia de cima da mesa por exemplo. não vou lá e digo: Luffy, sai dai por favor meu menino. Por mais que eu queira acredite! E um gato não quer, nem precisa de líder, nem nunca me verá como tal, mas em certas sitauções insisto em mandar ou tentar.)
    Outra questão é que diversas vezes se humaniza animais e os cães estão no topo desta humanização inconsciente. Embora acredite que quem faça isso ame muito os seus cães, acho que suprimir a essência deles e não satisfazer as suas necessidades traz por si só muitos problemas com o cão, ou obsessões, medo, e no pior dos casos agressevidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode não concordar comigo mas pelos vistos concordamos em algumas coisas.
      É verdade que grande parte dos donos não sabe o que significa ter um cão quando o levam para casa. Concordo que o tempo que disponibilizamos aos mesmos faz toda a diferença.
      quando digo que não sei "o que raio é o estado calmo e assertivo" é porque pelo facto de eu estar calma e assertiva não vai fazer com o cão fique calmo e assertivo na rua onde tem imensos estímulos. Foi um conceito que não me convenceu porque na prática não funciona. Se o cão está focado em chegar ao jardim para cheirar a relva e puxa na trela prefiro usar isso para lhe pedir um comportamento. Se puxares eu paro e não avanço em direcção ao jardim, ou mudo de direcção. se me acompanhares chegamos ao jardim mais depressa :) é como aprender a dançar e os cães aprendem depressa :) não preciso de dar toques nem esticões na trela nem dizer shhht. Eu prefiro assim, dá-me mais gozo trabalhar assim com os cães. A questão de humanizar os cães dá muita conversa e pano para mangas.. Mas concordo consigo: não devemos suprimir a essência dos cães.
      O que me chateia mais não é a pessoas humanizarem os cães, mas sim, se quando o fazem não estão a respeitar a essência dos mesmo. Exemplo: cão que é cão gosta de estar no sofá com o dono (ou sem ele) é mais confortável tem o seu cheiro e sabe bem. Por isso os cães vão para o sofá. Cães que estão no sofá não querem domina-lo nem provocar o dono. Só querem aproveitar e dormir uma boa sesta. Donos que deixam os cães ir para o sofá para os encherem de beijos e festas estão a humaniza-los? no meu entender: não. Donos que pintam as unhas aos cães, os encham de penteados e que lhes dão banho todas as semanas... sim isso para mim vai contra a essência do cão. (bem se o cão for rebolar todas as semanas para o lama.. talvez precise de um banho todas as semanas e aí rebolar na lama... é respeitar a essência dos cães! ;) )

      Eliminar
  12. problemas com o cão, ou obsessões, medo, e no pior dos casos agressevidade.
    Era à agressividade que estava à espera de chegar, pois acredito que nunca tenha lidado com um cão realmente agressivo. Os problemas anteriores referidos, funcionam bem com correcções, passeios, exercícios, etc..mas com cães agressivos, cada caso é um caso e aí, bem, acho que mudar de passeio e evitar a situação não é a solução. Pode ser um passo do processo de reabilitação, mas a dada altura terá de o confrontar com as situações-chave. Com um cão agressivo, um biscoito não irá funcionar, com um cão que quer ir atrás de alguém ou de outro animal para matar (sim eles têm esse instinto e não pode ignorar) isso não mudará nada. Aí chega-se ao método de Cesar, que cresceu e aprendeu com o melhor professor do mundo: a mãe Natureza. Da sua observação do comportamento de uma matilha selvagem pode-se concluir que um comportamento indesejado e não tolerado pelo líder (no caso doméstico nós) é automaticamente rectificado. E como? Muitas vezes funciona com um comando, uma postura correcta que transmita a mensagem, mas em caso de agressividade ou grave indisciplina, tem que ser dado o seu toque que se traduz por "põe-te no teu lugar, não é isto que peço de ti e não admito esse comportamento". Se acha que isto é violência e que se está a maltrartar os animais, entao a mãe Natureza é muito cruel e actua de forma ignorante? Ou seremos nós quem cria o problema onde ele não existe? Não acho de todo que maltrate um animal e se o que diz é verdade: que os métodos dele não funcionam a longo prazo, então é porque os donos voltaram a comportamentos errados, tal como postura ou inactivadade perante situações.
    Não me quero alongar muito mais, já o fazendo, mas quando tiver um caso mesmo difícil em mãos e não um cão da linha de Cascais, diga-nos o método e o resultado. Só uma nota: os temidos pitt bull criados por ele, nem um teve sinais sequer de querer atacar um humano ou outro cão da matilha. Porquê? Porque o trabalho na sua educação foi de forma preventiva a essas situações. E se há cães mais fáceis de lidar, temos que ter consciência que há raças com mais aptidão para dominar, que requerem muitos desafios e exercício. Quanto cães como esses tem? Pitts, Rotties, pastores, bulls, etc. E se não tem, no passeio, andam todos calmos e ao seu lado ou atrás? Essa altura do passeio e tão importante e a forma como o domina determina se ele a vê a si como alguém a seguir ou se terá ele de tomar as rédeas da situação.
    Mais uma vez friso o que alguém disse aqui: o método dele não é o único e podem ser utilizados outros; ainda ontem vi um episódio igual ao do Chihuahua que postou em cima, que dizia respeito a colocar um peitoral e no qual usou comida como reforço, e não desatou aos pontapés e "shts" que parecem ser a única ( e errada) coisa que o define para muita gente.
    Boa sorte com o seu trabalho e por favor, trabalhe as energias. Nao só neste trabalho, mas na nossa vida, são fundamentais.

    PS- todo o mundo a pensar: fogo que esta gaja nunca mais pára!! lololol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Liliana, eu nos dog walkings não estou a trabalhar nenhuma modificação comportamental, estou simplesmente a passear um cão e quero que o passeio seja o mas tranquilo possível, ou seja sem stress. No entanto, se há um estimulo que deixa o cão que passeio desconfortável eu afasto-me desse estimulo e trabalho com distância. ou seja se um cão não tolera a presença de outros cães e desata a ladrar, eu ai mudo de direcção e afasto-me do outro cão. a meu ver resulta melhor que dar chapadas no focinho do cão como estava a fazer o dono do yorkie que referi no post. Escrevi outro post sobre stress nos passeios http://trelaecompanhia.blogspot.pt/2013/02/passear-anjinhos-e-demonios.html onde coloco uma imagem que para mim é elucidativa sobre o que lhe digo sobre a distância.
      e...Sim. Fico fula ao ver donos a bater nos cães. Não faz sentido e eles não merecem e isso são maus-tratos. O dar chapadas no cão não vai fazer com que ele deixe de ladrar aos cães quando vir cães. se forem dolorosas o suficiente para o cão as querer evitar sim o dono vai suprimir o comportamento natural do cão - o ladrar - com base na intimidação. é com base nisto que vemos cães com estranguladoras, coleiras de choques... Não concordo com este tipo de treino porque nos dias que correm felizmente há formas de o fazer sem causar dor nos cães.
      Para trabalhar uma modificação comportamental com qualquer cão agressivo (seja um chihuahua, um golden retriver, um pit ou um rot) não podemos trabalhar com eles quando estão em stress, mas sim quando estão calmos. Sugiro que conheça o trabalho de um treinador que admiro imenso, o Drayton Michaels em http://www.pitbullguru.com/ ele tem uma larga experiência em modificações comportamentais com pit bulls e outros cães agressivos. O trabalho dele para mim fascina-me e tem base cientifica.

      Ps: sim o seu post não estava esquecido, não tinha conseguido ainda responder-lhe com a atenção que merece.

      Eliminar
  13. Olá a todos,
    sou uma pessoa que cresceu com animais,fossem eles cães gatos (que por acaso tenho 1 cão e 2 gatos),peixes e papagaios.
    Cada animal (cão)é um caso,mas por um momento peço que pensem no seguinte:
    "estamos a falar em treinar ou em tratar um cão a nivel psicológico?)
    um dos videos mostra um cachorro a morder a mão da dona por causa do peitoral,bem ,o problema não é o peitoral mas sim o facto de em tenra idade estar a morder a dona,depois mostram como se treina o cachorro de forma a se poder usar o dito peitoral.
    Não vi em parte alguma,como fazer um cachorro ou cão adulto a não morder.
    Creio que foi no primeiro post que disse, (...estava a passear uma cadela,noutro lado da rua um cão a ladrar levou umas chapadas...levei o meu cão para outro sitio....) certo?
    1º erro - ambas as pessoas evitaram ter controlo sobre a situação,pois se quisessem ter controlo "não se afastavam e tentavam ensinar os cães a socializar"
    2º erro - "disse ao cão vamos ou bora bora e compensou-o" pois bem aquilo que fez foi ensinar o seu cão a afastar-se dos outros cães,deu-lhe uma recompensa,e mais tarde se por algum motivo o seu cão não conseguir afastar-se o que vai acontecer é ele atacar o outro cão,porquê???foi ensinado a não socializar com todos os tipos de estado de espirito.
    Diz também que leu o livro de cesar milan,pergunto qual uma vez que ele já lançou 3livros.
    Na entrevista a cesar milan é dito que a protectora animal não está de acordo com os métodos de cesar milan;não foi a protectora dos direitos animais que por acaso chamou cesar milan para reabilitar cães aquando do furacão Katrina?
    Não a protectora dos animais que por acaso reconheceu o seu trabalho como sendo um trabalho de excelência?
    Pois bem,para terminar digo,NÃO CONFUNDAM TREINO COM REABILITAÇÃO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ivo, num passeio não estou a trabalhar em nenhuma modificação comportamental. Estou apenas a passear o cão. Eu afastei-me do yorkie com a minha pixie porque se me aproximasse ele iria certamente voltar a ladrar e voltar a apanhar uma chapada do dono. Afastando-me com a pixie o cão iria ficar mais confortável não iria voltar a ladrar e não iria receber mais maus tratos do dono.
      Se quer ver mais trabalho sobre modificações comportamentais. Sugiro que conheça o trabalho de um treinador que admiro imenso, o Drayton Michaels em http://www.pitbullguru.com/ ele tem uma larga experiência em modificações comportamentais com pit bulls e outros cães agressivos. O trabalho dele para mim fascina-me e tem base cientifica.
      Quanto ao me diz:
      "1º erro - ambas as pessoas evitaram ter controlo sobre a situação,pois se quisessem ter controlo "não se afastavam e tentavam ensinar os cães a socializar"
      2º erro - "disse ao cão vamos ou bora bora e compensou-o" pois bem aquilo que fez foi ensinar o seu cão a afastar-se dos outros cães,deu-lhe uma recompensa,e mais tarde se por algum motivo o seu cão não conseguir afastar-se o que vai acontecer é ele atacar o outro cão,porquê???foi ensinado a não socializar com todos os tipos de estado de espirito."

      - não se socializam cães se eles estão com medo ou desconfortáveis com a presença de outros cães. na situação que descrevo em cima não iria ajudar o yorkie se me aproximasse para socializar, por isso mesmo afastei-me.
      Reforçar um cão quando ele vem comigo quando digo "bora" não é ensinar um cão a não sociabilizar. Estou a reforçar o comportamento que ele me acaba de oferecer que é vir comigo.

      Se quer saber mais sobre socialização e sociabilização recomendo os livros do Dr. Ian Dunbar. Tem vários e em português já tem os livros: "Antes e depois de ter o seu cachorro" - do Dr. Ian Dunbar, Médico Veterinário especialista em Comportamento com um largo trabalho desenvolvido com cães. Veja este post que escrevi
      http://trelaecompanhia.blogspot.pt/2012/11/livro-de-instrucoes-para-caes.html
      onde pode ver os links onde encomendar em Português ou descarregar a versão gratuita em inglês no site dogstardaily.com com tonelas de informação.

      Li o primeiro livro do César Millan e depois dediquei-me a livros com os quais me identifico mais de outros treinadores como Ian Dunbar, Jean Donaldson, Karen Pryor entre outros.
      Por curiosidade o César Millan contou com a participação do Dr. Ian Dunbar no seu livro Cesar's Rules. Se o César se interessou por outras abordagens, talvez a minha sugestão tenha interesse para si também.

      Desconheço qual foi a protectora que tenha chamado o César Millan, na situação do Katrina mas não ponho em causa a posição da RSPCA (The Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals) no vídeo da entrevista que publiquei em cima.

      Concordo consigo há muita gente a confundir treino, com reabilitação e digo mais: há muita gente que não sabe o que é reabilitação e modificações comportamentais em cães. Ficaria tudo bem mais fácil se estes assuntos fossem estudados com maior profundidade por quem trabalha e se interessa por cães.

      Eliminar
    2. Boa tarde,

      Antes de mais gosto de ver que existem pessoas interessadas no dog walking, os meus parabéns.

      Peço imensa desculpa, nada tenho contra si ou contra a sua maneira de agir com os nossos amigos de 4 patas, antes pelo contrário, acho que cada um tem de percorrer o seu próprio caminho e acho que faz muito bem em mostrar às pessoas a sua maneira. Infelizmente não consigo concordar, primeiramente, com o que diz "Reforçar um cão quando ele vem comigo quando digo "bora" não é ensinar um cão a não sociabilizar. Estou a reforçar o comportamento que ele me acaba de oferecer que é vir comigo.", o cão não lhe está a oferecer um comportamento mas sim a ser condicionado pelo seu, quando diz "Bora", o que é bastante diferente. Se ele tivesse ignorado o comportamento do Yorkie, acho que ai estaria a oferecer um comportamento, que como sabemos era excelente ser rapidamente recompensado, pois na minha opinião seria o único comportamento que poderia ser reforçado. Aquilo que quero dizer é que, das duas uma, ou ia falar com o dono do Yorkie e podia-lhe dizer que não é com "chapadas" que o vai fazer não ladrar e aí metia-se a jeito para um "Então como poderei fazê-lo?" e teria ajudado o dono e principalmente o cão ou se ele levasse a mal um "O que é que tem a ver com isso" (nem todos recebem uma ajuda da melhor maneira, já me responderam assim e tive de me calar). Ou então poderia esperar que a pixie lhe oferece-se o comportamento que referi em cima, e ai pelo menos a pixie ficava a ganhar e era excelente (digo isto sempre do meu ponto de vista, não é e nunca será a única opção). Estou a dar apenas a minha opinião, respeito a sua atitude mas eu que até trabalho com cães e adoro, teria ido falar com o senhor.

      Como já disseram aqui, o Cesar Milan fez uma coisa que muito pouca gente teve esse privilégio, que foi crescer a observar os cães no seu estado natural. Não tem nenhum curso superior, mas tem o que poucos têm ou se têm não melhoram, que é o dom de lidar com os cães como eles lidam entre eles.

      Vou-lhe só por uma siuação, diga-me só que faria, gostava de conhecer outras formas de lidar com a mesma situação:
      Já alguma vez viu uma matilha a sério? Com um alpha e os seus seguidores? Se sim, já alguma vez viste o alpha dar biscoitos algum dos seguidores para lhe redireccionar a atenção? Eu posso dizer que já o vi, que já tive de me meter no meio de uma matilha para separar dois cães só porque um dos supostos seguidores quis tentar ocupar o lugar do alpha. Posso dizer que podes tentar separar dois cães grandes com reforço positivo, mas só um deles é que vem.

      Gostava com isto dizer que não nos deveriamos cingir apenas a um tipo de treino especifico ou de reagir só de uma maneira, mas sim de estar abertos a várias possibilidades.

      Posto isto, acho que fazes muito bem em defenderes o teu ponto de vista e de dar a conhece-lo, mas acho que este blog tem um maior foco no "NO Cesar's Way". E é a única coisa que acho que pecaste no blog e que foi um erro da tua parte, porque acho que assim as pessoas que gostam do Cesar Milan não vou querer se quer conhecer a tua maneira de lidar com os cães, ou nem continuam a ler os posts. Pelo menos foi a vontade que me deu assim que cheguei a parte em que falas do Cesar.

      Deixo-te aqui a minha opinião, espero que não me leves a mal.
      Mais uma vez parabéns pelo teu trabalho de Dog Walking, gosto de saber que usas o reforço positivo, que é óptimo.

      Um Abraço,
      Nuno Parreira

      Eliminar
    3. Finalmente uma resposta assertiva, de um ponto de vista prático, justo, para com todos os intervenientes (cães, humanos).
      Abraço para si Nuno Parreira.

      Eliminar
    4. Finalmente uma resposta assertiva, de um ponto de vista prático, justo, para com todos os intervenientes (cães, humanos).
      Abraço para si Nuno Parreira.

      Eliminar
  14. Olá Miriam! Sou finalista de med. Veterinaria com especial fascínio pelo comportamento animal e não podia estar mais de acordo contigo! Obrigada pelas palavras, vídeos e livros aconselhados! Continuação de um óptimo trabalho! Sara Araújo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já agora também aconselho o livro que estou a ler: "O meu cão e eu" de Alexandra Santos. Fala também de treino canino, entre outras coisas.

      Eliminar
    2. Obrigada Sara!
      Vais concordar comigo que a classe médica veterinária precisa de aprender mais sobre comportamento animal. Vou contar contigo como uma embaixadora nesse sentido. Ainda não li o livro da Alexandra mas já o folheei e sem dúvida vai buscar temas que precisam de ser postos em cima da mesa ;)
      Obrigada pelo teu comentário e feedback!

      Eliminar
  15. bom dia !
    Antes de criticarmos devemos conhecer mesmo a fundo as tecnicas utiluzadas porque cesar millan não da só toques e puxões, tambem uso o estimulo positivo e de recompensa, o qual pode comprovar por este video https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/960271_504530749613748_1534560072_n.jpgc

    Cesar millan e um grande homem que trata bem os animais e ajuda a tornar as suas vidas muito mais felizes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claudia, não consigo ver o vídeo que o link não funciona.
      Eu critico as técnicas aversivas utilizadas por treinadores como o César Millan, porque tenho um enorme interesse por esta área e tenho tentado aprender o mais possível sobre estes temas. Um dos livros que fundamenta bem estas questões é sem dúvida o "Choque de Culturas" da Jean Donalson, que já pode ler em Português. Veja as primeiras páginas aqui: http://issuu.com/knsediciones/docs/web-o_choque_de_culturas_portug

      Eliminar
  16. Estou mais que cheio de ver em supermercados, cafés etc., meninos mal-educados dos 2 aos 10 anos por vezes mais a fazer birras, quando os pais lhes dizem que não dão qualquer coisa, choram, berram, pintam a manta a seu belo prazer em demonstrações evidentes de falta de respeito pelos pais, que acabam por vencer nos seus intentos porque os pais já não aguentam a vergonha e cedem, aí o menino vira Super-herói em vez de uma coisa trás de uma assentada três.
    Triste e lamentavelmente sorte para o menino e para vergonha absoluta dos papás, pois vão ceder sempre aos caprichos dos seus filhos eles sabem bem como os usar, ficando malcriados até de novo os seus pais cederem, com os cães passa praticamente o mesmo.
    Não sou apologista da técnica da bofetada, pergunto muitas vezes aos meus filhos se lhes bati alguma vez resposta que recebo sempre “Não me lembro”, mas lembro bem da minha mãe com 5 filhos bem diabólicos ou como se diz agora hiperativos nos dizer à porta da mercearia com ar de que não estava mesmo a brincar “Ninguém me pede absolutamente NADA” babávamos a olhar para coisas que adorávamos, mas ninguém pedia “NADA”. Não tenho qualquer espécie de dúvidas que todos nós a admiramos, respeitamos e “AMAMOS INCONDICIONALMENTE” e garanto que todos levamos uns bons pares de estalos, na horinha certa.
    Tentarem-me provar com estes vídeos que o Cesar bate, ou agride os cães com pontapés e perfeitamente ridículo, quando o indisciplinado, irrascível, intratável, é o cão.
    Claro que os toques com os pés tem alguma intensidade, não são propriamente festinhas, mas violentos estão a km de distância, nos vídeos que visionei, tenho a certeza absoluta que 90% daqueles cães estavam destinados ao corredor da morte no veterinário.
    Ele salvou-os da morte certa, deu aos donos e ao cão uma nova oportunidade de viverem em harmonia, com meia dúzia de toques com os pés é certo, mas tornou-os CÃES, esse é o seu objetivo e ele conseguiu-o.
    O resto são Trelas e Companhia, ou antes Tretas e Hostilidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afonso, estou de acordo consigo que há imensos miúdos mal educados. Eles são optimos a treinar os pais. Não há regras, não se ensinam comportamentos alternativos e as birras são reforçadas de forma errada. Comportamentos reforçados positivamente têm tendência a repetir-se não é verdade? Já dizia B.F.Skinner.
      Não posso concordar consigo quando diz que o cão é "o indisciplinado, irrascível, intratável", os cães são indisciplinados porque não há regras, irascíveis são os donos que levam cães para casa sem ter tempo e dedicação para os mesmos e por isso se irritam com facilidade quando os cães apresentam comportamentos de cão como ladrar, roer, saltar etc. e por ultimo os cães não são intratáveis felizmente. Apenas não acredito que se tratem destes cães com toques ou pontapés. Tenho várias outras referências de treinadores que se baseiam no reforço positivo para treinar cães. Treino com reforço positivo não é permissivo e tem fundamento cientifico. Respeito se não concordar comigo mas eu acredito nas técnicas de aprendizagem e modificação comportamental que assentam na verdade cientifica. Tudo o resto é infelizmente treta como diz e pior que isso, em muitos casos: muito hostil para os cães que não merecem ser maltratados sob a desculpa de treino. Já evoluímos e já não é necessário tratar dos cães desta forma violenta felizmente.

      Eliminar
    2. Repito não me recordo de algum dia ter batido, nos meus filhos e eles também não se recordam!
      Claro que a culpa nunca é do cão, bem como das crianças!
      A culpa é sempre dos Pais e do dono do cão!
      Concluindo: Nem toda gente pode ser Pai, bem como não pode ser dono de um cão, o CRIME é esse, “SÃO”!
      O Cesar Milan nos casos dos exemplos, é uma “Ambulância em Emergência”, claro que a técnica é discutível, (todas o são), mas se os salvar é BRILHANTE!
      Tive alguns cães, o Astor (Pastor Alemão), a Bianca (Cocker Spanish) e a Lua (Bóxer) todos eles maravilhosos, mas estes tenho-os num cantinho bem especial.
      Dentro de cerca um mês e meio, vou receber o meu “Kevin” (Deutsch Drahthaar), mas antes de o receber já estudei montes de vezes o seu caracter e o seu comportamento social, opiniões várias da raça, pouco me importa o Estalão, ele é o meu cão e eu sou responsável por o ter sociável e maravilhoso para todos.
      Quem não os trabalha com dedicação, amizade e respeito, sujeita-se a recorrer, por exemplo ao Cesar Milan, vá lá, tem o mínimo de consciência. Desistir NUNCA!
      Quem não recorre a ajuda com um cão problemático, devia ter comprado um cão de peluche e pô-lo em cima da cama que fica muito bem!
      Como agora tenho mais tempo, não tenho a menor das dúvidas que o Kevin (teoricamente o último, pois já sou sexagenário) vai ser um cão enorme, dê-me ele ou não, uma carga de trabalhos.
      ELE É O MEU CÃO!
      Não pode, nem deve, ser comparado com um filho, mas a responsabilidade é exactamente a mesma!
      Xiii! Nunca mais chega o dia de o receber!

      Eliminar
  17. Há muitas formas de educar e treinar um cão mas na realidade o melhor metodo de todos é aquele que resulta e é visivel. Há por aí muita gente que se diz especialista na teoria de treinamento e psicologia canina com cursos e doutoramentos na materia que escrevem e publicam sobre o assunto mas na realidade, na prática, não tem qualquer experiencia em controlar um cão que esteja allterado psicologicamente e no final o cão "agressivo" é condenado à morte por estes mesmos especialistas.
    A respeito do Cesar Millan, infelizmente, o nome tornou-e uma marca que gera milhões, em que como em qualquer programa de TV tem de haver edições fazendo com que tudo pareça perfeito, como tal, automaticamente (talvez por dor de cotovelo...) os seus metodos tronaram-se alvo de acusações de maltrato de animais, o que é certo, é que até agora, eu ainda não o ví a dar chapadas em nenhum cão enquanto faz o caracteristico "shuut" apenas o vi a tocar ocasionalmente em pontos estratégicos para chamar a atenção do cão, leva-lo a ignorar distrações em redor e leva-lo a focar-se no seu dono.
    No entanto, é verdade que já vi pessoas sem qualquer tipo de sensibilidade a tentarem imitar o que vem na TV mas de uma forma excessivamente errada.
    O metodo do Cesar Millan pode não ser o melhor, na teoria se calhar não faz muito sentido, mas está mais que provado que resulta e é isso que realmente interessa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E será que resulta mesmo? :) ou apenas suprime os sinais de comunicação do cão?
      Um dos livros que fundamenta bem estas questões do treino é sem dúvida o "Choque de Culturas" da Jean Donalson, que já pode ler em Português. Recomendo vivamente. Veja as primeiras páginas aqui: http://issuu.com/knsediciones/docs/web-o_choque_de_culturas_portug

      Eliminar
    2. Não quero ser polémico, chato ou coisa que o valha, mas em tudo tem que haver equilíbrios, mesmo tendo a certeza que o humano não vai ser nunca é um ser perfeito!
      Quando se busca a perfeição com palavras e teorias, sem olhar para a experiencia de vida dos nossos antepassados dá infelizmente nisto….e quanto mais.
      Aqui à uns anos o Dr. Benjamin Spock disse que não deveríamos bater nos nossos filhos quando eles se comportassem mal, porque suas personalidades em formação ficariam distorcidas e poderíamos prejudicar sua auto-estima. (O filho do Dr. Spock suicidou-se)
      E todos nós dissemos: "com é um perito nesse assunto sabe bem o que está a dizer”!
      Então fez-se lei e todos concordamos!
      A páginas tantas um iluminado sugeriu que devíamos deixar as nossas filhas fazerem quantos abortos fossem necessários, sem precisarem previamente da autorização dos pais.
      Fez-se lei
      E nós aceitamos essa sugestão sem a questionar!
      Lamento mas não me revejo nestas ideias, (podia escrever muitas mais) bem como um castigo mesmo que seja físico prejudique irreversivelmente seja lá o que for.
      Levei vários estalos da minha mãe na hora certa assim como os meus 4 irmão e AMAMO-LA incondicionalmente ao ponto de não ter palavras para o descrever, mas isso não nos impediu nunca de termos opiniões completamente diferentes e que essas opiniões nos leva-se a uma discussão azeda.
      Não é fácil estar vivo e viver em harmonia com tudo e todos.
      Repito o nosso cão não pode ser comparado a um filho, pois não tem direito a opinião, nem lhe faz diferença nenhuma, faz lá ideia do isso é, mas a responsabilidade dos donos é exactamente a mesma que se tem para um filho!
      ELE É O NOSSO CÃO!

      Eliminar
  18. Bom dia,

    Se quer que lhe seja sincera, não concordo, nem discordo. Não penso que um cão possa ser educado simplesmente por recompensas. Quando temos uma criança pequena, não ignoramos os comportamentos errôneos, ou ela irá pensar que tais comportamentos são indiferentes e continuará a fazer. O meu cão foi educado de uma forma muito fácil: sempre que faz algo bom, é recompensado. Quando faz algo mau, é castigado. Obviamente que o castigo não passa por pontapés ou murros, isso seria impensável. O bom jornal é perfeito. Uma pancada no rabo que não causa dor e assusta devido ao barulho do jornal. E foi uma forma perfeita.
    Talvez o Cesar Millan não seja o mais correto treinador de cães, admito que não, uma vez que ele nunca teve educação ou treino para o fazer, baseou-se em experiência pessoal, mas numa coisa ele tem razão. Na atitude de macho alfa. Eu assumi essa atitude com o meu cão e acho que nos salvou de muitos problemas. Ele não morde mobilia, não sofre de ansiedade por separação e não puxa a trela quando estamos a passear.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beatriz, Deixe-me actualiza-la mas está cientificamente comprovado que a teoria da matilha e da dominância não se aplica na relação entre os cães e pessoas. Veja por favor mais informação neste post da Cláudia Estanislau onde reúne várias referências e informações relevantes: http://caosciencia.blogspot.pt/2009/01/dominncia-o-mito.html
      Se seguir a escola It's All About Dogs no facebook, youtube ou nos blogs/forum vai ter imensa informação sobre treino baseado nas técnicas de reforço positivo. Estou certa que vai gostar.

      Eliminar
  19. Enquanto não perceber como a energia passa entre uma pessoa e outra ou um animal nunca poderá perceber tudo o resto, por isso para si resulta o reforço psitivo, porque isso é algo que só resulta porque, por um lado, a sua energia fica bem e passa-a inconscientemente, pr outro porque é um factor meramente psicológico que se baseia no sistema de recompensa e de chantagem que, a prazo, não resulta nem com humanos nem com outros animais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sissa, Toca numa questão muito pertinente. Há muita gente que confunde treino através de reforço positivo com suborno ou chantagem e ai de facto não vai resultar, nem com pessoas nem com animais porque só vão fazer quando "subornados". Convido-a a ler autores como Karen Pryor, Jean Donaldson ou Ian Dunbar para conhecer melhor no que se baseia o treino com Reforço Positivo, que nada tem a ver com suborno ou chantagem.
      Pesquise na internet estes autores ou veja livros em Português na KNS ediciones: http://www.knsediciones.com/es/32-libros-en-portugues
      Obrigada

      Eliminar
  20. Vim parar a este site ao pesquisar artigos do Cesar Millan, não tenho muito conhecimento do trabalho dele, mas falaram-me e eu quis vir ver. Adotei á pouco tempo um cão que foi encontrado abandonado ainda cachorro, teve 4 familias diferentes, é um cão amavel e carinhoso mas tem um energia que é de loucos (arraçado de border collie) chegou cá a casa já jovem (quase 1 ano) não tinha absolutamente educação nenhuma, tenho o cão á 2 semanas, e já consigo fazer tanta coisa com ele, esta educado e tudo se turnou mais facil. A unica coisa que lhe tive dar foi dedicaçao, amor, tempo e reforços positivos. Para aprender a não puxar na Trela, fiz como referiu num comentario acima, mudar de direção, ao inicio parecia uma tonta na rua, andava apenas ás voltas, mas resultou muito depressa, ele é um cão muito inteligente, e facilmente aprende, mas precisa de alguem que ensine e dê valor ao seu trabalho. Isto tudo só para dizer que tambem só a favor do reforço positivo, e completamente contra a violencia ou maus tratos aos animais (não querendo dizer que o cesar seja o caso, porque eu desconheço o trabalho dele) Em relaçao ao trela e companhia, continuem o bom trabalho e o obrigado por tratarem bem os nossos amigos preciosos de 4 patas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jana Malter, obrigada pelo seu comentário e feedback positivo ao trabalho da Trela e Companhia. Sugiro que aprofunde melhor as abordagens de treino positivo, uma vez que se identifica com as mesmas.
      Deixo como referência as páginas da Escola It's All About dogs onde vai poder encontrar inúmeras referências. Estou certa que via gostar.
      http://www.itsallaboutdogs.net
      https://www.facebook.com/Itsallaboutdogs
      http://www.youtube.com/user/claudiahoyle
      http://www.itsallaboutdogsforum.net
      http://caosciencia.blogspot.com

      Eliminar
  21. Olá, poderia me dizer se os métodos que a Karen Pryor ensinam estão em algum livro traduzido em português?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, pode comprar directamente na editora KNS ediciones:
      http://www.knsediciones.com/es/32-libros-en-portugues

      Eliminar
  22. o blogue mais hipocrita que ja li... continuem a ser mordidos e terem cães a serem os vossos lideres
    em vez de terem um cão no qual se orgulhem e não tenham medo de interagir

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nuno, não temos medo de interagir com cães, nunca fomos mordidos e não precisamos, nem queremos ser os líderes da matilha. Seguimos o trabalho de muitos treinadores que não precisam de ser líderes de matilha para trabalhar com cães de forma brilhante. Veja aqui um post sobre isso mesmo: http://trelaecompanhia.blogspot.pt/2013/02/nao-sou-lider-da-matilha.html
      Orgulhamo-nos do nosso trabalho e lamento que a sua opinião sobre o nosso trabalho seja tão negativa, até porque acho que não nos conhecemos e não sei com que fundamente acusa o blog de "hipócrita". Podemos não estar de acordo em alguns pontos, isso aceito e terei todo o gosto em conversar consigo e esclarecê-lo da forma como trabalhamos desde Janeiro de 2011 para dezenas de clientes.

      Eliminar
  23. Acho que não existe necessidade em diferenciar entre concordar com os métodos de um ou de outro, acho que cada um é responsável por seu animal e ou o animal de outrem, se lhe confiam a ajuda, então tem mais é que ajudar da maneira responsável que lhe convir.
    Gosto do método do César, e por mais que tenham outros pensamentos, comigo somente funcionou os métodos dele, nenhum outro fez o mesmo efeito e não vejo como maus tratos esse tipo de método.
    O amor, cuidado e respeito que sinto por meu cachorro/animais não será diferente devido o fato de seguir os métodos dele de adestramento.
    Super funciona e sempre irei seguir e aconselhar os demais que confiam em minha opinião, aprendizado, demonstração a seguirem também.
    Agora acho que existem tantas outras coisas a se mudar para benefícios dos animais, como leis mais rígidas, adoção/compra responsável, microchip e etc, do que discutir métodos de adestramento/opinião alheia sobre tal, gastem essa energia para causas que realmente estão alarmantes no Brasil e no mundo, principalmente relacionadas a abandono e maus tratos. Seria muito mais útil não acham? Desnecessário trocar opiniões divergentes, nem eu e nem você irá mudar sua opinião, então não tem utilidade alguma nisso. O mais inteligente é todos antes de confiar somente em um método, pesquisar outros e tentar, isso sim acho promissor, com embasamento cada um segue aquilo que lhe convém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Dionathan, muito obrigado pelo seu comentário. Estou de acordo consigo quando diz que há tanto para fazer em prol do bem-estar dos animais. Apenas não posso concordar com métodos de treino ultrapassados que são aversivos e que mesmo que resultem (que resultam, a ciência comprova isso mesmo), provocam dor e assentam na intimidação e violência física ou verbal ao cão (a ciência também prova que este tipo de treino tem consequências desastrosas).
      No Brasil posso realçar o excelente trabalho do Projecto Bem-estar é Muito Mais, que pode conhecer no site: bemestaremuitomais.com.br
      Gosto do trabalho dos responsáveis pelo projecto e aconselho que conheça.
      O meu objectivo não é fazer você concorar comigo, mas sim partilhar o meu ponto de vista. Aliás, esse foi o meu objectivo quando escrevi este post em novembro de 2012. Muito se discutia sobre o César Millan na altura e quis publicar a minha opinião sobre o mesmo e colocar videos que tinha como referência. Discutindo e conhecendo pontos de vista diferentes conseguimos fundamentar melhor a nossa opinião e as nossas escolhas e é isso que procuro no meu trabalho na Trela e Companhia, estar em constante aprendizagem, pois o maior erro é achar que já sabemos tudo, não concorda? Acredito que sim ;) Obrigada

      Eliminar
  24. Estou treinando o pet de meu filho com as técnicas do Sr. César Millan.Ele tem dois anos é de altíssima hiperatividade.Com uma semana de treinos já estou colhendo frutos e estou muito contente.É obvio que os toques são para chamar atenção do cão e eu tenho feito,já que o pet e mto grande,mas se tudo é bem feito não pode jamais afetar o cão.O que pude perceber que são toques de alerta e não machucam,se o efeito fosse este os animais claro morderia, já que sua defesa são os dentes.Tatiana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tathiana,

      Compreenda que o facto de resultar não significa que seja a melhor técnica. Os toques e os pontapés no ventre do cão magoam, caso contrario o cão não mudava de comportamento. Resulta porque o cão quer evitar a dor/desconforto do toque/pontapé por isso deixa de oferecer o comportamento indesejado.
      Sinceramente na minha opinião são denecessários quando temos técnicas que não precisam de dar toques/pontapés no cão que resultam de forma mais eficaz. Para além disso as técinicas que assentam do reforço positivo estão testadas, e comprovadas cientificamente como sendo a melhor forma de educar um cão.

      Sugiro que considere ver o trabalho de treinadores que usam o métodos positivos e que compare com as tecnicas de César Millan. Pode ser que se indentifique também.

      Obrigada

      Eliminar
  25. Eu acho isso um absurdo vcs são loucos, o Cesar Millan é o unico e é o melhor com cães no mundo, isso que estão fazendo é tão feio, baixo, e mostra claramente a inveja que sentem dele, ele sim sabe o que o cão sente pois todos os cães que ele reabilita viram amigos dele isso já mostra bem como ele não maltrata nenhum cão, e muito pelo contrário ele os ama tanto quanto você!!! .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leonardo,
      O César Millan felizmente não é o único, muito menos o melhor com cães no mundo. O que o César Millan é? o mais mediático sem dúvida. Não só pela máquina de marketing que o suporta como pelo facto que as suas técnicas são claramente controversas. As suas técnicas não são aceites como as melhores pela comunidade cientifica para o treino de cães, pelas consequências nefastas que o treino aversivo tem - facto comprovado cientificamente.Queira por favor informar-se e afastar opiniões de factos. Neste post quero partilhar a minha opinião, mas esta é baseada em factos. e contra factos não há argumentos..
      Obrigada

      Eliminar
    2. Não podia estar mais de acordo!!
      Aliás basta olhar para o currículo desse Sr. cujas horas em formação são ZERO!! Simplesmente ele vende estas noções de "treino", EXTREMAMENTE erradas e perigosas, afirmando ter nascido com um "DOM", enquanto que especialistas na área cujo o currículo fala por si, andam em lutas diárias para abrir os olhos das pessoas que acreditam num trafulha como o César Millan!!


      É um FACTO que o treino baseado em reforço positivo é o mais eficaz. Quem pensa o contrários é simples... leiam, estudem, aprendam e evoluam!

      Eliminar
  26. Gostava de mostrar a minha alegria pela exposição da sua opinião ter chegado aos meus olhos.
    Sou também finalista de medicina veterinária e a verdade é que quando a moda do Cesar chegou a Portugal eu idolatrava-o. É verdade, via religiosamente os episódios e pensava que estava a ver milagres. Até que felizmente fui a um congresso de comportamento da Psianimal (aconselho a quem gosta desta área de comportamento animal) e percebi que não se podia falar do nome Cesar Milan sem receber um olhar de desaprovação. Então comecei a aperceber-me das técnicas e de que em todos os episódios o que se vê é apenas uma pequena parte, o resto não se sabe e nomeadamente não se sabe o depois. Sou fã do reforço positivo e tento sempre mudar a opinião de quem "passa por mim" sobre violência a animais. Tenho esperança que um dia as coisas mudem, porque devagar já se vão mudando. Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Violência contra animais e reforço positivo.Bom,esse reforço resulta com que tipos de cães?Aqueles teimosinhos,que não obedecem a seus donos e que latem o dia todo?Talvez cães do tamanho de gatos...hum,sim,talvez estes,seja fácil comprar com comidinhas na boquinha e frases fofas do tipo:"isso fofinho,muito bem".Agora,quero ver esse método funcionar com cães gigantes e violentos,que atacam sem avisar.Até os sinais que os animais dão,César reconhece e vocês?Nem sequer sabem que os cães demonstram por pequenos sinais aquilo que farão logo a seguir.Um cara que cresceu e viveu ao lado de diversas raças de cães,aprendeu na prática a lidar com cada uma delas,de todos os tamanhos e personalidades.Mas já que o tal "reforço positivo" é tão eficaz,façam programas e mostrem ao mundo seu método.Treinem os cães com comidinhas e deixe-os mansos e obedientes.Vamos ver qual método é o mais eficaz.

      Eliminar
  27. Reforço positivo,dando comidinhas na boca do cão e tentando transformá-lo em um bibelô de 4 patas?Na verdade,você não ensina ao cão quem é o "dono" do pedaço.E cães,Trela e companhia,precisam também diferenciar o certo do errado de forma firme e consistente.Na natureza,que é implacável,é de forma muitas vezes violenta,que um indivíduo entende que existe o macho alfa e os demais machos.E Cesar utiliza de meios que levam o animal a acreditar que seu dono é o líder da matilha,o que não deixa de ser verdade.Já vi muitos casos de cães tratados a pão de ló,atacarem seus donos até a morte.Tratados como bibelôs,sem nenhum tipo de regra ou limite,deixando a entender,pros cães,que ali quem manda são eles e claro,o cão é um animal,mas não é estúpido,ele sente quando tem um dono fraco,sem pulso para agir.E ele sabe tirar proveito disso.Os toques que Cesar usa em nenhum momento ferem os animais.Nunca fiquei sabendo de algum cão que tenha se ferido durante a utilização de tal método.Gostaria que vocês que falam contra ele,que tentassem usar seu método de comprar o animal com guloseimas,com as feras que ele controla.Animais violentos e não esses que "ladram" para os outros.Já que vocês são detentores da verdade absoluta,tentem seu método com um pitbull ou um rotweiller violentos,que atacam sem dar sinal antes.Dê guloseimas nas "boquinhas" deles e se por acaso,ficar sem seus dedos,será só um mero detalhe.Acho muito interessante,é que antes de César surgir,não apareciam métodos milagrosos de controle de cães desobedientes e violentos com comidinhas e frases fofas.Mas agora,existem diversos "especialistas" contradizendo um método eficaz,que mostra ao cão e ao dono,como um deve lidar com o outro...e sem violência.Mas isso tem um nome bastante popular,Trela e companhia...sabe qual é?Inveja e vontade de aparecer às custas de um famoso psicólogo de cães.Mas quer um conselho?Pare de se preocupar com quem é famoso;já que confias tanto em seu método,apenas implante-o aos seus clientes e ganhe seu dinheirinho.Mas faça-o com todos os tipos de cães: dos mais teimosos,aos mais violentos;dos Pinchers aos Mastiffs Napolitanos e Pitbulls;dos mais fáceis de lidar,aos mais complicados.Fica a dica!

    ResponderEliminar
  28. Boa noite, o meu nome é Fábio Rodrigues e já passei por milhões de conversas com pessoas anti-cesar...
    não li obviamente todos os comentários a responder ao artigo e não sei se alguém já se lembrou do que vou escrever agora e que acho que até você tem de admitir que ainda bem que existe um cesar e o método dele...

    Grande parte dos cães mais problemáticos estavam para ser abatidos e desses, muitos já tinham passado por várias pessoas com mais e menos formação. Em muitos casos mesmo com treinadores especializados, eram cães dados como não reabilitáveis... e iam morrer...
    Com o Cesar levaram meia dúzia de puxões ou que sejam 30. e levaram com um toque de lado.

    Os cães quando se magoam ganem, não sei se você já ouviu. Eu não costumo ouvir cães a ganir com o Cesar...

    Também á vi um programa dele sobre como educar cães desde pequeninos, e não vi pontapés nas recomendações.

    O Cesar tem uma matilha de 30?! cães em casa dele de todas as raças e tamanhos, a maioria recuperados de lutas, abandono, maus tratos fisicos, agressividade, medo extremo...

    O maior problema é o que você presenciou... uma coisa é ver o programa outra coisa é fazer..
    É preciso ter muita calma e paciencia e discernimento para educar um cão.
    Dominar muitas técnicas para não começar logo a provocar erros e proteger ao máximo o animal.
    Acho que o Cesar têm sempre isso em mente.

    E as pessoas que o criticam deveríam antes disso salvar tantos cães da morte devido a problemas de agressividade, provocados por....nós, como ele já o fez!

    Obrigado Boa Noite

    ResponderEliminar
  29. Você está completamente errada! Não é questão de opinião, é questão de CERTO e ERRADO! Você realmente acha que um animal é humano?! Porque essas técnicas de agradinhos, são para humanos. Humanos se sentem na obrigação de serem educados ou bonzinhos com pessoas que lhe agradam e lhe dão o que querem. Cães, são animais. Tem instintos, natureza; Principalmente e primeiramente ANIMAIS, depois CÃES! O César é simplesmente perfeito em suas técnicas e sabe perfeitamente compreender o que um animal precisa, ele sabe lidar e fazer um cão feliz. Não é à toa que tem mais de 40 cães convivendo de diversas raças e tamanhos. Acredito que da sua parte seja um pouco de PRÉ-conceito, por querer que sua técnica seja perfeita fica criticando e tentando achar erros e defeitos nas outras técnicas. Não estou dizendo que a sua não funciona, mas que acredito que um cão feliz só está completo quando usada psicologia CANINA e não humana! E para esclarecer, não vejo televisão e, sim, leio os livros dele e concordo plenamente com o modo dele de agir.

    ResponderEliminar
  30. Vim parar a este post por acaso - o qual gostei bastante de ler - e depois ver a controvérsia refletida em alguns comentários, penso que o principal problema está espelhado no título "Não gosto do César Millan, saiba porquê.". Consigo compreender que existam técnicas e formas diferentes de obter um mesmo resultado, nomeadamente no que diz respeito a lidar com animais. No entanto, não me parece justo dizer que "não se gosta de alguém" que é claramente um embaixador da proteção, preocupação e do cuidado da espécie animal. Ainda que os seus métodos possam ser controversos, as suas intenções e os seus resultados não são, e estão à vista de qualquer um - e só isso explica a quantidade de pessoas que lhe são gratas e que o seguem, por todo o mundo fora. Penso que um título justo para este post seria "Não aprecio os métodos do César Millan, saiba porquê", sem recurso a conteúdos parciais como excertos de filmes que se focam em momentos específicos de interação com cães problemáticos, que muito dificilmente poderiam mostrar outra forma de (re)agir naquela circunstância. Assim como o exemplo do reforço positivo feito com um cão de porte mínimo é pouco eficaz como termo de comparação. Só a minha opinião... :) Boa escrita!

    ResponderEliminar
  31. Não tenho cães mas vi as várias temporadas do Cesar na tv e é de louvar o belo trabalho que tem feito,quanto ao Trela e Companhia só posso dizer que a dor de cotovelo doi muito.Sabe quem é que faz as guerras no mundo?Não?São os politicos, mas quem vai pró terreno combater são os homens.Mas eu gostava de ver alguem da Trela e Companhia vir ao quintal do meu vizinho e acalmar o cãozinho que está a guardar a casa,deviam andar mais no terreno e deixar o escritório,talvez a vossa opinião sobre o Cesar fosse outra.Mas podem trazer os v/amigos (escritores,veterinários,doutores,etc,etc) para ver se conseguem entrar.





















    , mas eu gostava de ver alguem da Trela e Companhia

    ResponderEliminar
  32. Bom dia,

    Cheguei a este Post por pesquisar o Cesar e o reforço positivo ou seja não abdico nem de um nem de outro no entanto temos que destingir 2 coisas o Cesar Millan não TREINA cães ele REABILITA cães e o que vocês fazem no REFORÇO POSITIVO é o treino do animal ... Resumindo isto para não me alongar muito, O Cesar Millan é perfeito no que pratica e ele próprio pratica reforço positivo, nenhum animal fica ou é ferido de qualquer forma sobe os seus cuidados digo isto porque na sua passagem pelo UK tive o privilegio de o conhecer e passar um dia no seu centro e ver em 1ª mão o que ele faz e como faz e em nenhum momento ele agride ou fere os seus animais.
    Posto isto espero que exista uma maior abertura de mente e vejam que não é a criticar que evoluímos mas sim a ponderar se podem coexistir duas formas de Treino/reabilitação porque o REFORÇO POSITIVO não pode (ainda) ser aplicado a raças poderosas pois estas técnicas não surtem o efeito desejado.

    Bom dia e bom trabalho

    ResponderEliminar
  33. Ja agora aqui fica um video de como o Cesar usa o REFORÇO POSITIVO:

    http://www.youtube.com/watch?v=o24MV7tg2lE

    ResponderEliminar
  34. Cesar Millan é realmente sensacional, é de outro mundo e pelo menos nos episódios que eu assisti e form muitos, nunca vi ele maltratar qualquer cão, já tive cães e sei que possuem personalidade própria, cães em um mesmo ambiente podem possuir comportamentos completamente diferentes, existem cães que nenhum treinador quer treinar, não importa se é com reforço positivo ou não, pois alguns se apresentam incorrigíveis.

    Quem já assistiu aos vídeos de Cesar Millan já deve ter visto várias vezes que muitos cães estavam no limite para serem sacrificados e que já tinham passado por vários treinadores sem ninguém conseguir qualquer resultado. Nunca vi Cesar machucar um cachorro, mas vi ser mordido várias vezes e manter uma calma sem igual. O cidadão é o melhor do mundo, faz coisas que nem dá para acreditar e isto sem levar semanas para resolver.

    Se você pega um cão dócil e faz com que ele aceite reforço positivo, você não fez absolutamente nada, pois isto é fácil de acontecer com a maioria dos cães, mas pegue um cão neurótico e violento e ente tratá-lo com reforço positivo enquanto ele tenta arrancar a sua mão.

    Muitas vezes os cães não têm jeito e muitos são mortos por conta do comportamento depois que o dono já tentou de tudo. Tocar o animal com mais força não é bater, não é agredir. Se Cesar Millan fizesse tão mal ao cachorro, não teia dezenas deles o respeitando em sua própria casa, não teria cães equilibrados. Alguns cães são difíceis de serem treinados sim e isto é de certa forma randômico, o cidadão é sensacional é acima de qualquer tratador do planeta e é uma tremenda mentira dizer que ele maltrata animais, parece até coisa de gente invejosa de quem tem real talento e talento completamente natural.

    ResponderEliminar
  35. Sou muito fã do Cesar e discordo totalmente da sua opinião, eu a respeito mas discordo. Sou apaixonado por cães e sempre tive. O problema da técnica do Cesar é que existem pessoas que não tem a capacidade de entender o que ele quer passar. Bem antes de conhecer o trabalho do Cesar eu já pensava mais ou menos parecido com ele, o cão precisa de disciplina. Isso não quer dizer maltratar nem espancar. Os toques que ele dá nos cachorros são para redirecionar a mente do cão. No mundo animal acontece coisas bem piores, basta qualquer um assistir um simples documentário de lobos ou qualquer outro tipo de animal que vive em bandos, com cães não pode ser diferente. Tenho uma cachorra de 13 anos, da raça pastor alemão e posso afirmar que é o cão perfeito. Muito obediente, carinhosa e muito respeitosa. apliquei nela várias das técnicas do Cesar e outras que eu mesmo desenvolvi. Nunca tive que espanca-la para ela fazer nada. Mas como disse, respeito a sua opinião. Até mesmo em seres humanos que se dizem "superiores e inteligentes" há regras e o simples carinho não funcionaria, você educa seu filho com regras e castigos. Costumo dizer que cães são como crianças, eternas crianças.

    ResponderEliminar
  36. Ao contrário de todos, não percebo nada de treinamento de cães, no entanto vejo os resultados obtidos pelo Cesar. Quando vejo os outros a falar, fico sempre com a impressão que há ali uma certa inveja. A melhor forma de provarem que estão estão certos seria meterem-se dentro de uma jaula com um cão agressivo e conseguirem controlá-lo com as suas técnicas. Aí talvez lhes desse razão. Até lá só posso aceitar aquilo que vejo...

    ResponderEliminar
  37. Acredito que voce não tenha entendido o que Cesar quis dizer com o tal termo "calmo e submisso", nem o que ele quer dizer com "humanizar os cães", algo que prova que voce realmente não deu uma pesquisada nos metódos de Cesar como diz ter feito, porque se tivesse pelo menos lido um livro dele, um só, o qual eu li (além das diversas pesquisas que fiz sobre o tema, diversas teorias psicológicas e cientificas que li para criar a minha base argumentativa e ter minha visão formada) que se chama "Guia rápido para um cão feliz", da editora Verus, da National Geographic, 2º edição de 2014, você teria lido e entendido esses termos completamente. No livro ele diz que o CÃO e não o DONO deve estar em uma energia calma e submissa. O dono, pelo contrario, deve estar e passar ao cão uma energia tranquila, firme e confiante. E sim, ninguém disse que porque você vai estar pensado em arco íris um cão extremamente hiperativo vai deixar de correr atrás de um carro que vir na rua. A mentalização da energia correta é só uma parte do treinamento, assim como o uso dos toques para desviar a atenção do cão de algum comportamento ruim e o uso do “não” e “shhh” para mostrar ao cão que ele não pode e nem deve ter determinada atitude, algo que pelo o que você disse, considera “desnecessário”. Portanto, você está julgando o todo pela parte e tirando suas próprias conclusões. Em levar em consideração seu método descrito, ele é muito suave e pode funcionar com cães menos agitados e calmos, mas para cães extremamente elétricos e ansiosos, tentar puxar a coleira quando ele quiser ir a algum lugar não funcionará para detê-lo de fazer tal gesto, uma vez que seria necessário mostrar a esse que ele necessita exercer uma postura calma e acompanhar o ritmo do dono, o qual seria feito através dos métodos que citei acima. Por isso existe a necessidade de diversos métodos e técnicas a fim de poder controlar qualquer tipo de cão em todas as situações e ocasiões, e com fenômenos e problemas tão diferentes, é impossível, cientificamente falando, tentar aplicar uma única técnica para tratar uma vasta variedade de problemas comportamentais e particulares de cada cão, sua personalidade e história, como você diz em defender que o seu método é universal e absoluto. Seria a mesma coisa que tentar ensinar um cão a não temer crianças (devido a um trauma de um acidente que possa ter ocorrido anteriormente) aumentando seu convívio e contato com gatos!
    Além disso, o César não é um amador tentando brincar de reabilitar cães, ele é um especialista, tem vários anos de experiência e sabe o que está fazendo. Como todo profissional, ele tem seu próprio método e que rapidamente demostra resultados fantásticos. Voce está desmoralizando um profissional levando em conta a sua visão, e isso não é justo. Não é porque ele não use o seu método de tratamento que o dele não seja eficaz ou ético. Em momento algum houve qualquer reclamação ou alegação de injúria ou danos ao animal que César tratou, vindo das partes dos donos, de outros profissionais ou de qualquer fonte. O que ele faz de tão grave por tentar ajudar o animal e a família? O que voce diz ser "violência"? Esse simples toque que ele dá com os pés no cão? Para sua informação, ele usa esse método para desviar a atenção e o pensamento errado que o cão está formando e focando quando vê algo que o incita a ser agressivo ou inseguro, como por exemplo, outro animal ou algo que o amedronte, como uma criança andando de bicicleta. Qual o mal que ele fez para o cão? Será que o simples ato de dar um cutucão em um cão desequilibrado afim de que esse retorne a um estado mental de tranquilidade, visando seu próprio bem e o bem de quem convive com ele pode ser chamado de "crueldade"? Ele arrancou um pedaço dele, tirou-lhe sangue ou o deixou deficiente por isso?

    ResponderEliminar
  38. **Não confunda treinamento com reabilitação. São conceitos completamente diferentes, basta entender-se pelo sentido e significado das palavras:
    trei•nar - Conjugar
    (francês traîner, arrastar)
    verbo transitivo
    1. Dar cevo a (aves). = CEVAR
    verbo transitivo, intransitivo e pronominal
    2. Ensinar ou aprender determinada .ação ou prática. = ADESTRAR, ACOSTUMAR
    3. Preparar ou preparar-se para uma prova, uma competição ou uma .atividade.
    "treinar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/treinar [consultado em 19-06-2014].
    re•a•bi•li•tar - Conjugar
    (re- + habilitar)
    verbo transitivo
    1. Restituir direitos e prerrogativas (que se tinham perdido por sentença judicial).
    2. Declarar que o sentenciado está inocente.
    3. Ajudar à reinserção social de: Reabilitar um .toxicômano.
    4. Reparar, renovar (um imóvel, um bairro antigo).
    5. [Figurado] Restituir a estima pública, regenerar moralmente.
    verbo pronominal
    6. Ser reabilitado; regenerar-se.
    "reabilitar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/reabilitar [consultado em 19-06-2014].
    Como pode ver, treinar remete a adestrar, a ensinar comportamentos baseando-se na assimilação do animal de determinada atitude ou ato feito pelo mesmo a uma futura recompensa, pelo simples fato de receber essa, não porque ele pense que fez algo agradou ou não seu dono, ou se se comportou corretamente dentro de sua matilha. Isso pode ser feito até com um filhotinho, como adestrá-lo a dar a patinha em troca de um biscoito. Tal adestramento requer seus métodos particulares e quando se trata de um cão que se encontra em um estado dócil e equilibrado.
    Agora, reabilitar remete ao ato de restabelecer, de reconstruir, de retornar o estado original, o estado anterior, ou seja, o comportamento e atitude naturais do cão quando esse se encontrava em estado de harmonia interior e equilíbrio de sua mente e para tal existe seus métodos próprios e adequados de tratamento. Para um cão que se encontra fora de si, que ataca a todos e tudo, é mais do óbvio que um biscoitinho não será suficiente para restabelecer e tratar seu estado mental doente, ele precisa se reencontrar interiormente como um cão e enfrentar todos os problemas que o fazem agir de tal forma. Se você parar para ler e ver, César sempre diz que REABILITA cães, e por si só, é um trabalho extremamente diferente, com técnicas diferentes, o qual o cão já se encontra em um extremo estado de desequilíbrio, como a agressividade, serão necessários outros métodos, mais profundos e intensos, para tentar trazer de volta a estabilidade do cão, pensando no próprio bem-estar mental do animal e no bem-estar dos donos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reabilitar significa trazer de volta ao estado natural desejado. Para se reabilitar alguém agressivo é necessário mostrar-lhe que o mundo não esta contra ele e que nada de mal vai acontecer se ele se mostrar sociável. Quando ele tenta te atacar deve mostrar que quer a paz e não guerra. Ao dividir a sua comida com ele ele começa a te ver como um aliado amigo. Assim esse processo é lento mas o resultado é certo. Se agredir como forma de retaliação ira impor a confiança e isso não se impõe, se conquista.

      Eliminar
  39. Voltando na questão, a vida tem leis naturais e essas devem ser seguidas e respeitadas para que possa haver harmonia e bem-estar para todos, e uma delas se chama LIMITES. Todos nós devemos usar de nosso bom-senso e senso de justiça para estabelecer o certo e errado, pensando e proporcionar para todos uma condição de justiça e de equilíbrio, gerando consequentemente te um convívio e relação harmoniosas. Quando um ser humano adquire um cão em sua família, ele deve ensinar ao cão o que é certo e o que é errado, como tudo que existe na vida e na natureza tem, e que esse limite deve ser respeitado para que um ser não prejudique o outro e possa viver com dignidade e justiça sem sentir-se ferido, vice-versa.
    Tratando o cão como um animal, na matilha existe sim uma hierarquia natural, na qual o líder impõe aos submissos que ajam da forma correta e desejada e que cumpra a sua função no bando, para o bem de todos os membros do grupo.
    Sendo o ser humano o responsável pela vida do cão e sendo um ser com uma razão maior, esse deve mostrar e impor ao mesmo o que ele pode fazer e o que ele não pode fazer. Pensando no senso de justiça e de bom-senso e respeito, não seria justo submeter um ser humano a ser mordido e agredido por um cão que se encontra fora do controle e desiquilibrado pelo simples fato de não querem impor-se sobre ele de maneira a restaurar a liderança para o dono. Assim sendo, esse deve ser controlado e instantaneamente imposto que ele está errado, para o bem de todos.
    Tais cães quando não recebem limites, que é uma lei natural da vida, tornam-se os lideres da matilha, visto que não há líder que mostre o que ele deve ou não fazer, e que é essencial e natural na vida canina. Cada cão exerce seu papel fundamental na matilha e se não há um líder efetivo, esse papel deve ser cumprido, e por fim, pelo cão, mesmo que esse por natureza às vezes não tenha tendência de liderança. Não há mal nenhum em mostrar ao cão que ele não deve morder ou machucar o outro afim de conseguir o que quer, ao contrário, será bom para ele entender a questão de liberdade e limite, para que possa se ajustar corretamente, sem se prejudicar nem prejudicar o outro (isso é equilíbrio). Se ele chegou em um estado de agressão, é porque não recebeu limites ou não foi reprimido quando apresentou esses comportamentos negativos. Dessa forma, nessa altura um simples biscoitinho (e muitas vezes na hora errada acaba por reforçar ainda mais esses comportamentos, pois o cão pensa que esse ato ruim é legal e que ele é recompensado e apreciado toda vez que age agressivamente) não vai fazer com que o cão que já atingiu esse estado mental deixe de exercer tal postura negativa e desrespeitosa com seus donos. Será necessária uma atitude mais firme e intensa, que seria reprimi-lo, mostrando-o que ele não vai assustar ou conseguir espantar seus "parceiros da matilha" mordendo, ou seja, deve encará-lo e se impor a ele, sem se afastar, reprimindo seu comportamento virando-o de barriga para cima até que esse se sinta sem opção a não ser tornar-se calmo e submisso a vontade do seu dono. Tudo isso são técnicas usadas pelo César, e que usa como base os princípios naturais do cão e sua vida em matilha, uma vez que eles tentam usar do rosnar e morder para se impor ao oponente e afasta-lo, torando-se o líder, e o cão derrotado deve mostrar submissão virando-se de barriga pra cima, gesto que mostra que ele se rendeu.

    ResponderEliminar
  40. Agora me diga, o que voce viu de "crueldade" nisso que citei? Em momento nenhum foi recorrido ao uso de violência nesse método, apenas a técnicas usadas pelos próprios cães quando estão dentro de uma matilha e querem assumir a liderança. Em nenhum momento o cão foi prejudicado ou injuriado ou ferido para poder restabelecer seu estado mental, como ocorre quando o mesmo levou uma chinelada, um tapão, um soco ou uma paulada. Afirmar que o método descrito acima se trata de, como você disse "maus tratos", "tortura" ou "crueldade" seria renegar a própria lei da natureza em estabelecer limites e equilíbrio em tudo, e seria renegar a natureza do próprio animal e seus devidos comportamentos na vida natural para que consiga sobreviver e manter-se integrante de uma matilha.
    Trata-se de uma visão extremista sobre fatos e verdades, e como tudo que é extremo, nunca atingirá um equilíbrio que seja justo e correto para todos, como a verdade deve ser. Acaba por não abordar a outra versão dos fatos e de suas consequências, ou ignorar a verdade completa e se apegar a uma parte dela, negligenciando outros fatores e fenômenos, tornando-se injusta e irreal, muito menos universal.
    Para finalizar, ele nunca disse em nenhum de seus livros que humanizar cães é deixar esse subir no sofá, dar beijos ou fazer festa para ele, muito pelo contrario. Se você está se baseando nisso para afirmar e julgar os ideais e princípios do profissional, isso só prova que você está completamente equivocada e muito mal informada do que se trata esse conceito e do que o César diz a respeito disso. Não é uma coisa impossível de saber, bastava você abrir um livro, pode ser esse mesmo que eu citei e ler o conceito lá explicado e a visão do especialista sobre o assunto antes de sair julgando e desqualificando o grande profissional que é o César Milan.

    ResponderEliminar
  41. Aqui tens a tua resposta!! Obediencia nao é o mesmo que lidar com um cao sem disciplina e agressivo!! CErtamente que nao vais disciplinar um cao agressivo com reforço positivo!!
    https://www.youtube.com/watch?v=TWVltGipnes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vejam o link... é o cao que agressivo que está dominado pelo Cesar... vejam o trabalho dele

      Eliminar
  42. olhe, o que eu acho e que voce tem muita inveja de Cesar Millan. os metodos dele nao magoam, apenas sao toques para tirar o cao do estado em que ele se encontra. alias, se magoasse cao ele quexava se ganindo por isso nao fale do que acha que sabe mas, como e obvio nao sabe...

    ResponderEliminar
  43. E é por tudo isto que... prefiro GATOS :) afasta-me o amor submisso e dependente que os cães têm pelos donos. Enfim....

    Antes de mais, e por forma a que a autora do Blog me possa tratar como 'testemunha hostil' ^_^ confesso-me admirador do César Millan.

    Este assunto dava pano para mangas mas direi muito simplesmente que a autora do Blog está a perder tempo (e já agora MUITO dinheiro) aqui. Com toda a pesquisa, evidente (e já agora incontestável) saber cientifico acumulado devia propor um programa na TV. Senda a autora uma mulher, a SIC Mulher, com as audiências que este tipo de coisa tem era certinho. Pense na carreira, na fama... no cachet.... Como dizem os Americanos, "Put your money were your mouth is".

    Estou mortinho por vê-la na TV:
    «Ah e tal menina da TV que trata de cães, o meu Pit comeu o meu caniche, o piriquito os dois gatos... e acho que a minha sogra. Ajude faxabor» e lá ia a autora do blog, armada de latas de Wiskas Gourmet (os cães adoram comida de gato vá-se lá saber pq), tiras de presunto, boas intenções e, claro está, um verdadeiro arsenal de técnicas de reforço positivo, amansar a fera.

    Pense bem minha cara. Está a passar ao lado do estrelato.

    Pelo menos o César Millan é corajoso e, já agora, honesto o suficiente para fazer o que faz publicamente e enfrentar, com trabalho e resultados, quem o critica gratuitamente ao abrigo da Internet ou associações pseudo-defensoras de animais com programas fantasma de esterilizações 'às três pancadas' e abates em massa.

    Aproveito para deixar aqui o testemunho de um companheiro Blogger (?) a respeito da RSPCA que tanto cita e defende;
    «The main issue found while investigating the RSPCA relates directly to their success in the homing of animals, in SA just over 4000 dogs alone were handed into their shelters, many of those from local councils (4017) 2021 were reunited with the owners, creating more profit for their organisation.

    The figures that make a mockery of their huge profits are these, of the dogs left 740 are adopted, 323 are transferred to where I am not sure and 870 are Killed, which is a huge kill rate, when we add cats into these figures kill rates go through the roof 783 adopted 1381 Killed.

    The very fact well over 60% of animals are killed is made worse by the reason "Behavioural issues" as if these poor animals are being punished for past treatment by inhumane people.»

    Fonte: http://www.markmaldridge.com/RSPCA-----SOME-TRUTH.html

    Assim de repente, o que a RSPCA diz a respeito de crueldade para com animais deixa de fazer sentido e citá-la passa a parecer, hmmmm... pateta, vá.

    Mais uma vez: Está a passar ao lado do estrelato minha amiga. Aguardo o programa na SIC Mulher e a prova provada que afinal, animais desequilibrados, precisam apenas festinhas na cabeça (cuidado com a mão) e 'reforço positivo' (e o que quer que seja que essa treta new-age implica).

    ResponderEliminar
  44. Nossa, é incrível como tanta gente que diz-se entendida em cães parece desconhecer o básico: cães não são como pessoas! Não pensam igual, não sentem igual, não tem os mesmos ideais, não compreendem igual, não raciocinam igual, e portanto não vão entender o: "ah buzuzunga! ah buzuzunga, que lindo, meu fofo! Muito bem dotoso da tia!!" Como sendo um aviso para mudar seu comportamento para o bem estar do grupo! A final um líder de uma matilha canina NÃO anda com biscoitos fazendo festa pra quem se comporta no grupo!!!! Esse comportamento é humanizado! Tanto quanto tantos outros comportamentos abusivos que vocês concordam como pintar unhas, pelos e vesti-los!! NÃO tem diferença na visão de um cão, que eu repito: NÃO SENTEM, NÃO ENTENDEM E NÃO TEM AS MESMAS NECESSIDADES QUE NÓS!!! Se queremos realmente lidar com amor e respeito para com os animais, teremos que primeiramente falar na mesma linguagem de cada espécie! É o mínimo que podemos fazer pra demonstrar que respeitamos sua diferença e individualidade sem a mania humana de egoisticamente tentar enquadrar o mundo à nossa volta ao nosso bel prazer e vontades!!!! Tanto isso é verdade que, se o método do suborno com biscoitos funcionasse tanto, não existiria tantos profissionais do ramo indicando seus clientes à eutanásia, concorda? O que incomoda tanto vocês? O fato do trabalho do Millan ter se tornado tão conhecido? O fato de ele poder se gabar que nunca tiveram que mandar um cão ao sacrificar com seus métodos tão ruins? Ou o fato de que os cães tratados por ele continuarão respondendo às mudanças mesmo se acabar os biscoitos do mundo?

    ResponderEliminar
  45. A inveja é grande mesmo, trelas e companhia se entendesses assim tanto de trelas ias entender que a forma como pegas numa trela quando estás nervosa e a forma como pegas quando estás calma e assertiva é diferente assim, passando a informação ao cão. falar das coleiras com picos etc... para tua informação as coleiras não vão magoar o animal porque os animais NÃO SÃO ESTUPIDOS, o animal ao sentir os picos vai parar de puxar, porque não é sadomasoquista obviamente -.- os meus pais foram treinadores de pastores alemães, todos eles bem treinados, tivemos que m nos quisesse comprar os nossos cães de tão bem ensinados que estavam, os meus pais é que não aceitaram. Eu agora tenho um pitbull com 8 anos e ele usa uma semi estranguladora, ou seja quando ele puxa a coleira aperta mas assim que ele se sente apertado abranda e a coleira volta ao normal, essas coleiras servem para controlar o animal, queria ver-te com uma coleira de tecido toda pipi com um são bernardo com quase 100 kg, não eras tu que passeavas o cão, mas sim o cão é que te passeava, alias ias de rojo de certeza. Explica-me lá que porcaria é essa de tu andares a treinar o cão a dar-lhe biscoitos para se por a porcaria da coleira? isso está errado, pois isso é apenas chantagem para com o cão e não é ensinar nada ao animal -.- quando disses-te que quando ias a rua com o cão se ele ladrasse ias por um caminho diferente deu-me uma vontade de rir enorme, achas mesmo que isso é que é ser lider? ser lider é apenas fazer com que o animal respeito o dono etc... e o animal tem de fazer o que o dono QUER e NÃO o que ele quer -.- é por pessoas assim que andam aí animais muitos mal educados, já agora o cesar não tem culpa desses donos que falas-te que tentam utilizar truques dos episodio sem saber a técnica correcta, porque caso não saibas em cada episódio passa sempre a mensagem a dizer para não tentar fazer nenhuma das técnicas dos episódio sem consultar um profissional. Se não fosse o cesar alguns cães iam para abate. Deixa-te de invejosa, isso é coisa feia, é que todos os cães que o cesar reabilita são todos felizes, o cesar não agride os animais de forma a que possa ser considerada agressão aos animais. A tua mãe nunca te deu umas palmadas? ou vais dizer que era agressão e bla bla bla? pois é de certeza que era apenas para te educar, o mesmo é com os animais e o que o cesar faz não é nem perto uma agressão, beijos, espero que não me interpretes mal :)

    ResponderEliminar
  46. Bem eu já tinha postado aqui a uns tempos atrás e depois de ter lido os livros que me indicaram e de ter lido outros e de ter adquerido mais experiência com cães de grande porte cheguei a conclusão que o Cesar Milan sabe o que faz e muito bem ou seja a reabilitar cães com problemas ele será certamente um dos melhores se não o melhor, existe uma grande diferença em passiar ou ensinar a dar a pata e reabilitar cães com problemas...e não esquecer as raças, passiar um boxer uma dálmata um jack Russel um podengo e cães assim não é a mesma coisa que passiar um Rottweiler um pit Bull um doque argentino um mastin um cane corso um presa canario um Bulldog americano...mas se calhar a Miriam passeia pouco estas raças quanto mais reabilita-las...granda Cesar Milan que sem estudos consegue dar um bailinho aos doutores e mais a mãe natureza equilibra a equaçao da vida e o Cesar apenas aplica os ensinamentos da mae natureza e os doutores aplicam ou tentam aplicar ensinamentos criados pelo humano que tem tendecia a desequilibrar e não a equilibrar...

    Hugo Martins.

    ResponderEliminar
  47. Olá, sou estou no último semestre do curso de biologia e penso que toda teoria tem pontos fortes, aqueles que são realmente comprovados cientificamente, e pontos fracos, os quais as pessoas "impõem" suas ideias para tentar explicar algo, que muitas vezes não são corroboradas por pesquisas científicas. Os métodos do Cesar Millan tem seus pontos fortes, mas pra mim, em sua grande maioria são teorias infundadas. Gosto dos livros dele, e leio fazendo um filtro do que pode ser aproveitado e do que não pode ser aproveitado. Por exemplo, ele defende sempre que cães, assim como os lobos, vivem em matilhas, com um líder e cada cão desempenhando seu papel, mas me respondam, ao andar pelas cidades, alguém já viu uma matilha de cães abandonados? Não. No máximo podemos ver dois cães, ou então vários machos disputando uma fêmea, mas esse grupo se desfaz em algum tempo. Os cães perderam seu comportamento social, isso se dá principalmente a uma evolução direcionada pelos humanos, eles se adaptaram a nos agradar para assim poderem sobreviver. Enfim, concordo com a opinião do blog, nenhum ato violento contra cães vai ensiná-lo algo, muitas vezes só gera mais comportamentos violentos. O treinamento com método positivo tem resultados, que na minha opinião, são mais eficazes que de qualquer outro método conhecido hoje.

    ResponderEliminar
  48. Alguém que tenha um cão enorme, agressivo e difícil por favor contrate a "trela e companhia" para o reabilitar e ajudar, e que filme tudo, para termos uma forma justa de comparar os métodos e tornarmos frutífera esta discussão. E depois de muitos vídeos faz-se um editing injusto e tendencioso que reúna todos os momentos de insucesso e frustração (sim, que dada a (in)experiência vão haver muitos). Este e outros posts são excelentes cartões de visita, para donos de "lulus". Bem haja

    ResponderEliminar
  49. É por isso que o César Millan tem um programa em uma das redes científicas mais bem vistas na sociedade.

    Você? Ah, você tem um blog na internet.

    ResponderEliminar
  50. Eu acho imensa piada ao monte de gente que gosta de falar sem conhecimento de causa, idolatram uma pessoa que vêm na televisão, e faz "milagres" em 5 minutos, e não vêm mais nada, pois só a sua opinião é que está correcta. Informem-se primeiro sobre os vários métodos antes de criticarem.

    Os lobos vivem um matilha e têm um lider, sim, mas (para quem não se tenha apercebido) entretanto os lobos foram seleccionados, domesticados e transformados em cães. Não podemos tratá-los como iguais. O seu comportamento mudou (até o seu código genético foi alterado por essa selecção), para se adaptarem a nós. Por algum motivo se diz que "os cães são o espelho do dono". Eles não vivem em função de respeitar um "lider de matilha", mas sim para agradar o seu dono. Tenho 2 cadelas, adoptadas em alturas diferentes, e digo-vos, não são de todo uma matilha. Ignoram-se completamente uma à outra. Cada uma vive em função de mim.

    Desengane-se quem pensa que o reforço positivo é um "suborno" e só serve para treinar e não reabilitar. Ao dar algo ao cão que ele gosta, não só comida, pode ser um brinquedo, uma palavra de apreciação, um afecto, estamos a dizer-lhe "gostei do que tu fizeste, é assim que eu quero que tu te comportes". Não é suborno, é falar a linguagem do cão. E eles têm sede de aprender. Para eles é uma brincadeira. Já repararam como eles olham para nós super atentos, num esforço para perceberem o que lhes estamos a dizer/pedir? Não são transformados em "bibelots", como alguém dizia. Eu uso o método para as educar, não para ensinar a rebolar e a dar a patinha.

    Não estou a ser tendenciosa, sou uma pessoa informada. Eu também já fui uma dessas pessoas que adorava o Cesar, até perceber que os métodos dele também passavam por infligir dor. E depois descobri o treino positivo. O treino positivo não é só dar biscoitos, também passa por impor regras, disciplinar, mas de uma forma positiva, reforçando os bons comportamentos e descondicionando os maus. Informem-se, por exemplo, sobre o trabalho do Fernando Silva, da Educacão. Ele não faz só treino de obediência, ele também os reabilita. Já recuperou vários, com problemas de agressividade gravíssimos, traumas profundos e outros problemas comportamentais. Tudo sem um pontapé, um choque, uma asfixiação. Tenho pena que os vídeos que assisti não sejam públicos. Mas com certeza com uma pesquisa na internet encontrarão videos de outros treinadores que comprovam que SIM, é possível, ter cães educados e felizes e não apenas subordinados. Eles não são educados pelo medo do "ai que ele vai fazer-me aquilo que eu não gosto" (e aí os comportamentos negativos ficam reprimidos e podem voltar a ser despoletados mais tarde) mas sim educados com um "que fixe, o meu dono ficou contente por eu me portar assim, tenho que fazer sempre isto" e aí os comportamentos negativos são descondicionados, eliminados.

    E pronto, este testamento todo não é para impor a minha opinião, mas para abrir horizontes e despertar a curiosidade de se informarem sobre outros métodos. Esse senhor não é nenhum mágico, nem muito menos único mundo, só o é para quem não vê, nem quer ver, mais nada. Magia é educar com amor!

    ResponderEliminar
  51. Sou Cinotécnico a mais de dez anos treinei cães militares e civis,acompanho César Milan a muito tempo não concordo com colar de choque,mas na maioria de suas técnicas ele usa a dominação,a desistência, ele faz o cão se render, e detalhe não foi cesar que inventou isso foram os próprios cães, ele somente adotou a técnica é foi bem sucedido,no vídeo de dominação ele usa uma guia sem trava e sem grampos,de 5cm de espessura isso evita danos ao pescoço do animal.quero ressaltar que admiro César mas tem técnicas que eu não usaria como colar de choque por exemplo mas nem só por isso uso pra diminuir um profissional pra se sobre sair através do erro dele,você trela e companhia fez um texto infeliz e mostra sua capacidade limitada,entendo suas técnicas básicas também uso a muito tempo mas você foi infeliz nesse seu texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou treinador POLICE K9 HA 27 ANOS. Sou instrutor das forças especias de varios paises. Afirmo que nao se usa mais metodos de imposição na maioria das forças de paises desenvolvidos. Saiam dessas e amadureçam e esqueçam o CESAR MILLAN. Ele era um passeador de cães e nunca teve formação e criou um metodo baseado em teorias dele mesmo. Meninos e leigos o adoram. Somente issso!!!

      Eliminar
  52. Sou Cinotécnico a mais de dez anos treinei cães militares e civis,acompanho César Milan a muito tempo não concordo com colar de choque,mas na maioria de suas técnicas ele usa a dominação,a desistência, ele faz o cão se render, e detalhe não foi cesar que inventou isso foram os próprios cães, ele somente adotou a técnica é foi bem sucedido,no vídeo de dominação ele usa uma guia sem trava e sem grampos,de 5cm de espessura isso evita danos ao pescoço do animal.quero ressaltar que admiro César mas tem técnicas que eu não usaria como colar de choque por exemplo mas nem só por isso uso pra diminuir um profissional pra se sobre sair através do erro dele,você trela e companhia fez um texto infeliz e mostra sua capacidade limitada,entendo suas técnicas básicas também uso a muito tempo mas você foi infeliz nesse seu texto.

    ResponderEliminar
  53. Que falta de respeito e de profissionalismo fomentar negativamente o trabalho de um colega.

    ResponderEliminar
  54. Que falta de respeito e de profissionalismo fomentar negativamente o trabalho de um colega.

    ResponderEliminar
  55. Muito Bom! Parabéns... Não sabia dos métodos controversos do Cesar, de forma alguma agressão seja qual for é o caminho a seguir. Eu tirei um cachorro grande e bravo da rua e com amor e não com agressão hoje dorme até comigo, se da bem com crianças e idosos. Nunca usei sequer um método que fosse agressivo. Pietro

    ResponderEliminar
  56. Ja treinei e reabilitei alguns cães num canil e de amigos, não sou treinador mas experimentei alguns metodos de treino e pelo que vi sinceramente,
    cada cão é um caso, pitbulls, pastores, border collies, cada um tem um método de aprendizagem (que tambem depende do comportamento a corrigir e a personalidade do cão)
    acho que no fundo tudo depende de quem esta a reabilitar. "Será que consigo mostrar ao cão o comportamento que deve ter?"
    Há cães que se adaptam e aprendem a ser corrigidos com treinos de reforço positivo (muitos biscoitos yeaaahhh), outros com coleira de treino (picos) e coleira de choque (muito usado no treino "Para" para cães de caça), outros com o metodo baseado no Cesar .
    Mas talvez o melhor seja aplicar todos os metodos mediante a situação e não indicar que este ou aquele são os melhores, porque todos tem FALHAS e não funcionam para todos os comportamentos a serem corrigidos/ensinados.
    Contudo sobre o César Millan, não me parece que seja um "agressor" aos animais mas contudo conseguiu salvar muitos cães e mostrar as pessoas que apesar de várias tentivas ainda é possivel fazer algo.

    ResponderEliminar
  57. Concordo totalmente!
    Acho que cada caso é diferente já que tanto as pessoas como os cães não são iguais. E por isso cada método tem as suas vantagens e desvantagens perante as várias situaçôes de cada cão, dependendo do tamanho, personalidade, risco de abate, objetivo, etc. Li todos os comentários e achei as divergências, informáções e opiniões ,que quase todos proporcionam, super interessantes! Tanto o método do César como da Trela e Companhia têm grandes qualidades, e também desvantagens, porque tudo depende neste caso do cão, o ambiente em que está e a situação em si! O problema é que as pessoas começam a seguir as outras devido aos seus certificados e etc, e não têm conhecimento aprofundado do assunto nem capacidade de análise e julgamento geral das situações ... eu tenho um cão de 1 ano e meio cruzado de podengo português que tem caracteristicas muito fortes de hound, e ele realmente não se interessa por nada sem ser cheirar num passeio! Posso mudar de direção, tentar dar-lhe recompensas (ele nem liga ...), repreensão física e chamá-lo ... nada. Acredito por isso que cada pessoa e cão são casos individuais e nós mesmos temos de nos informar e ter noção e julgamento para resolver o assunto. Ainda estou a procurar e a aprender para que um dia possa treinar o meu cão devidamente!
    Cumprimentos e parabéns pela blogger por ter-se dedicado porque realmente vejo um grande amor e dedicação para com os animais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, se bem que algumas imagens, a meu ver são mentira.Cada caso é um caso, e como se pode ver nos seus programas, nem sempre é usada a mesma tática e ás vezes usa-se a mesma tática só que com algumas alterações.Eu tenho uma labradora cruzada de epanhol breton de 5 quase 6 meses, com algumas técnicas do Cesar outras de um livo de outro escritor , que me ajudaram imenso, agora acho exagerado o "ódio" da escritora pelo o treinador de cães.Mas na mesma, parabéns á escritora/blogger, pois nota-se que tem um amor pelos animais e pelo seu cão, não colheço o livro que recomendou mas vou anotar o nome para procurar. Que continue com essa dedicação.

      Eliminar
  58. Concordo totalmente!
    Acho que cada caso é diferente já que tanto as pessoas como os cães não são iguais. E por isso cada método tem as suas vantagens e desvantagens perante as várias situaçôes de cada cão, dependendo do tamanho, personalidade, risco de abate, objetivo, etc. Li todos os comentários e achei as divergências, informáções e opiniões ,que quase todos proporcionam, super interessantes! Tanto o método do César como da Trela e Companhia têm grandes qualidades, e também desvantagens, porque tudo depende neste caso do cão, o ambiente em que está e a situação em si! O problema é que as pessoas começam a seguir as outras devido aos seus certificados e etc, e não têm conhecimento aprofundado do assunto nem capacidade de análise e julgamento geral das situações ... eu tenho um cão de 1 ano e meio cruzado de podengo português que tem caracteristicas muito fortes de hound, e ele realmente não se interessa por nada sem ser cheirar num passeio! Posso mudar de direção, tentar dar-lhe recompensas (ele nem liga ...), repreensão física e chamá-lo ... nada. Acredito por isso que cada pessoa e cão são casos individuais e nós mesmos temos de nos informar e ter noção e julgamento para resolver o assunto. Ainda estou a procurar e a aprender para que um dia possa treinar o meu cão devidamente!
    Cumprimentos e parabéns pela blogger por ter-se dedicado porque realmente vejo um grande amor e dedicação para com os animais!

    ResponderEliminar
  59. Desculpe mas não concordo.
    Aliás, no programa do Cesar Millan que eu vejo, no ínicio diz mesmo para não usar aquelas técnicas sem consultar um proficional.
    Além disso, os cães percentual o nosso estado de espírito, eles sabem se nós estámos zangados, alegres, tristes... e a trela é apenas uma metáfora.
    E os métodos que ele usa para um cão são para aquele cão, não funcionam com qualquer cão nem com qualquer problema, daí o aviso.
    Não me leve a mal.
    Para além disso, cada caso é um caso, cada cão é um cão e além disso o Cesar Millan não usa violência e os métodos dele funcionam.
    E ele imita que muitos cães sejam abatidos, dá-lhes uma segunda ipótese, ao contrário de muitos treinadores que não usam "agressividade", que até aconselham abstê-los, que tipo de treinador de treinador é esse? Estão a pagar-lhe e ele aínda quer que matemos o nosso cão, pois abater um animal é apenas matar de uma forma mais humana, sem necessidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em certos casos desses abatem-nos sem nececidade. Como diz o Cesar: "Eu reabilito cães e treino pessoas", muitas vezes a culpa é 95% do/s dono/s

      Eliminar
  60. mostre um vídeo de como resolver um problema de um cão agressivo com um método positivo em que o cao seja um pastor alemão adulto que ja mordeu pessoas ao ponto de levarem 30 pontos ou mais e ate acredito que os metodos sejam comparaveis. Pelo que tenho visto dos metodos do Cesar nao me parece que os caes sofram de todo, pelo contrário torna caes q eram infelizes e inseguros em caes felizes e capazes de se relacionar e prepara os donos para lidar com os seus animais em casos que muitas vezes está em causa o cao ter que ir para um canil ou mesmo ser abatido.

    ResponderEliminar