14/12/14

Mais cachorros na companhia da Em nome do Cão, no Qura

Se socializar com pessoas é algo fundamental e tenho trabalhado isso com a Pepita, tão importante é fazer o mesmo  com cães.

Os cachorrinhos quando estão com os irmãos aprendem a medir a força com que mordem. Se ao brincar mordiscam com mais força e magoam o irmão, gane, interrompe a brincadeira e afasta-se. Isto é extremamente importante para que os cachorros aprendam a controlar a força com que mordiscam, desenvolvendo aquilo que se chama inibição de mordida.

Inibição de mordida é das coisas mais importantes que um cão deve aprender em cachorro. Um cão que aprendeu a inibir a sua mordida vai saber controlar a força com que fecha a sua mandíbula quando morde. Isto, como calculam faz toda diferença numa situação que o leve a morder em adulto, provocando ou não "estragos", magoando, ou não, de forma séria.

Por esta razão não se deve retirar o cachorro de ao pé da mãe e dos irmãos antes das 8 semanas, uma vez que durante este período os cachorros desenvolvem a sua inibição de mordida. E pelo facto desta capacidade de inibir a mordida ser algo tão importante na vida de um cão devemos dar continuidade a esta aprendizagem, promovendo o encontro com outros cães.

Por esta razão, quando a Joana Sousa da Em Nome do Cão, me falou de passar no QURA na sua aula com cachorros não  pensei duas vezes! 

Estas oportunidades são fundamentais para dar continuidade ao desenvolvimento da inibição de mordida, mas também para que os cachorros tenham a oportunidade de aprender brincando. Num espaço seguro e em segurança, promovemos interações supervisionadas, de forma a que eles tenham oportunidade de interagir e desenvolver a sua linguagem canina. 

Há cachorros mais tímidos e outros mais brutos e mais "bully", contudo, todos eles têm de aprender a interagir e comunicar. Por outro lado, e pensando na minha Pepita, é importante que ela, tal como os outros cães na verdade, conheça outros cães de todos os tamanhos e feitios. Ou seja, tal como um cão pequeno tem de conhecer e saber interagir com um cão grande, um cão grande tem de saber interagir com cães pequeninos.

Outra coisa a salientar é que a interacção entre cachorros nada tem a ver com a interacção entre cachorros e cães adultos. Façam o paralelismo entre crianças e adultos. Quem cresceu com irmãos, ou tem filhos sabe como eles interagem e comunicam. Uma criança se puxa o cabelo com demasiada força noutra, ou da um pontapé provoca, se calhar uma brincadeira parva e quando doi uma berraria ou choro ou leva um puxão de cabelo ou pontapé  com mais força. Em ambas as situações a brincadeira divertida acaba. Se uma criança chegar ao pé de um adulto e lhe der um puxão de cabelo ou um pontapé a reação não será a mesma.... O mesmo se passa com os cachorros que para estarem a brincar aprendem até onde podem ir.

Este dia descobri que a Pepita embora pequena é destemida junto aos cães grandes, estiveram a interagir de forma muito bonita e pacífica. Ainda assim, quando se atreveu a dar uma trinca mais forte ao Jimmy, levou logo resposta, ela ganiu e afastaram-se. 

Living and learning Pepita my love!

Tenha sempre a atenção a interação do seu cachorro com outros cães. Não permita bullying não proteja em demasia. Procure aulas de cachorros. São essenciais.


Obrigada à Joana pelo convite e por estas fotos maravilhosas da minha miúda <3





1 comentário:

  1. A Pepita é uma menina cheia de sorte! Está com a melhor mãe do mundo!!! <3

    ResponderEliminar